1006

19 Jun 2019

| diretora: Edite Estrela

EDIÇÃO DIGITAL DIÁRIA DO ÓRGÃO OFICIAL INFORMATIVO DO PARTIDO SOCIALISTA

Primeiro-ministro hoje em Londres para aprofundar relações bilaterais
António Costa coloca em destaque a competitividade externa do país
AUTOR

Rui Solano de Almeida

DATA

10.04.2018

FOTOGRAFIA

dr

António Costa coloca em destaque a competitividade externa do país

O primeiro-ministro encontrou-se ao princípio da tarde de hoje em Londres com a sua homóloga britânica, Theresa May, a quem transmitiu que, no contexto do pós-Brexit, o Governo português dará especial atenção, nas relações bilaterais, aos direitos dos cidadãos, às relações comerciais e ao setor do turismo.


Falando esta manhã em França, onde se deslocou para participar nas comemorações dos 100 anos da batalha de La Lys, momentos antes de viajar de comboio para Londres, António Costa recordou os três principais pontos da agenda das conversações que iria manter com a líder do Governo britânico: as relações comerciais entre Portugal e o Reino Unido, o turismo entre ambos os países e os direitos dos cidadãos no contexto do pós-Brexit.
Destes pontos, o primeiro-ministro português realçou sobretudo a componente que tem a ver com os direitos dos cidadãos, referindo a este propósito a importância que tem a comunidade portuguesa residente no Reino Unido e a igualmente significativa e importante presença da comunidade britânica residente em Portugal.
Para além deste ponto, o primeiro-ministro lembrou o peso determinante que o turismo inglês e britânico, no seu conjunto, tem vindo a assumir ao longo das últimas décadas no conjunto da economia nacional, tornando, por isso, como referiu, obrigatório que o Governo português dedique a este assunto uma especial atenção.
Já sobre o Brexit, tema que tem feito nos últimos meses parte integrante das conversações bilaterais entre Lisboa e Londres, António Costa, depois de recordar que o Reino Unido vai deixar de pertencer à União Europeia no dia 29 de março de 2019, referiu que “nesta segunda fase em que se desenha o futuro das relações comerciais entre a UE e o Reino Unido”, Portugal defende que esta relação “deve ser o mais próxima e aberta possível”, porque ela representa, como referiu, indiscutivelmente, uma mais-valia, não só para a economia europeia, “mas igualmente para a economia britânica e para as empresas portuguesas”.
Esta reunião com a primeira-ministra do Reino Unido será o primeiro ponto da agenda, predominantemente económica, da visita de dois dias que António Costa fará a Londres, onde participará ainda nos trabalhos do “Portugal-UK Economic Forum”, organizado pela Aicep, encontro que contará com a presença de CEO de empresas de topo do Reino Unido, e onde o primeiro-ministro português fará uma intervenção no encerramento deste Fórum.
No encontro, onde também intervirá, na abertura, o secretário de Estado da Internacionalização, Eurico Brilhante Dias, serão apresentadas as vantagens competitivas de Portugal, as oportunidades para as empresas do Reino Unido e exemplos de investimento recentes.

Empresas portuguesas não devem ter medo de "partir para o mundo"
Antes da viagem para Londres, António Costa visitou, ainda em território francês, a fábrica do grupo Simoldes, em Lille, que apontou como um caso exemplar de investimento português no estrangeiro.
Sem deixar de sublinhar a importância de atrair investimento para Portugal, António Costa complementou que “é também importante que as empresas portuguesas não tenham medo de partir para o mundo”, dando como exemplo de sucesso a fábrica da Simoldes em Lille, que fornece componentes em plástico para a indústria automóvel e que está presente em França há 20 anos.
No final da visita, o primeiro-ministro destacou ainda a combinação “perfeita” do grupo, que “mantém em Oliveira de Azeméis um dos grandes centros mundiais de produção de moldes de alto valor acrescentado, mas que com a proximidade à indústria [francesa] lhe permite ser mais competitivo na produção dos componentes”.
Com esta visita, António Costa concluiu uma deslocação de três dias a França, onde esteve no âmbito das celebrações dos 100 anos da participação de Portugal na Primeira Guerra Mundial e da Batalha de La Lys, antes de prosseguir, em Londres, um périplo com uma agenda marcadamente política e económica.

Capa Edição Papel
 
EDIÇÃO Nº1413
Maio 2019