1003

14 Jun 2019

| diretora: Edite Estrela

EDIÇÃO DIGITAL DIÁRIA DO ÓRGÃO OFICIAL INFORMATIVO DO PARTIDO SOCIALISTA

Economia portuguesa em destaque na Tunísia
Sucesso de Portugal assenta na recuperação da confiança
AUTOR

Rui Solano de Almeida

DATA

21.11.2017

FOTOGRAFIA

dr

Sucesso de Portugal assenta na recuperação da confiança

A confiança “é o indicador económico mais importante”, defendeu o primeiro-ministro, hoje em Tunes, capital da Tunísia, durante um seminário económico, onde considerou também que a desburocratização administrativa impulsionada pelo Governo que lidera tem contribuído decididamente para o sucesso da economia portuguesa.

 

Perante uma plateia de empresários portugueses e tunisinos, António Costa defendeu que o seu Governo, depois dos anos da ‘tróica’ em Portugal e da crise financeira, apostou seriamente numa estratégia que combinou de forma “harmoniosa a disciplina orçamental e a reposição de direitos sociais”, o que em sua opinião muito tem ajudado, não só para baixar o défice das contas públicas, que em finais de 2017 deverá situar-se nos 1,4% do produto, mas que permitiu também, como referiu, que Portugal tivesse saído do Procedimento por Défice Excessivo na União Europeia, para além de ter visto o seu ‘rating’ revisto em alta pela agência de notação financeira Standard & Poors.

António Costa considerou ainda como um sinal muito positivo o facto de Portugal estar a conseguir pagar antecipadamente o seu empréstimo ao Fundo Monetário Internacional (FMI), sustentando que o conjunto das decisões que o seu Governo tem tomado, a nível económico e financeiro, tem ajudado que os portugueses tenham restabelecido confiança na sua economia.

Aumentar e consolidar a confiança é, para o primeiro-ministro, uma questão “determinante para o sucesso da economia”, dando a este propósito o exemplo de que, quando um empresário investe na aquisição de máquinas, “é porque tem confiança de que vai recuperar a prazo esse investimento”, ou quando uma família aposta que os seus filhos completem o ensino superior e se qualifiquem cada vez mais, “é porque essa família acredita que está a fazer um bom investimento”, reafirmando que a confiança é mesmo o “fator chave para as empresas, para as famílias e para todos os agentes económicos”.

 

Simplificar e desburocratizar

António Costa falou ainda sobre o “combate permanente” contra a burocracia, razão pela qual, como aludiu, o seu Governo aprovou e implementou o programa Simplex+, que entre muitas outras ações, como referiu, tem permitido “simplificar muito a vida das pessoas e das empresas”.

O primeiro-ministro fez ainda uma alusão à anunciada criação de uma associação de amizade Portugal/Tunísia e a uma câmara de comércio luso-tunisina, defendendo a este propósito que as relações bilaterais “poderão ganhar um grande impulso”, caso a sociedade civil de ambos os países “seja envolvida nestas iniciativas”, advogando que a União Europeia deverá “acarinhar” o processo de transição democrática que está em curso neste país do Magreb.

AUTOR

Rui Solano de Almeida

DATA

21.11.2017

Capa Edição Papel
 
EDIÇÃO Nº1413
Maio 2019