1046

17 Set 2019

| diretora: Edite Estrela

EDIÇÃO DIGITAL DIÁRIA DO ÓRGÃO OFICIAL INFORMATIVO DO PARTIDO SOCIALISTA

IV Cimeira Portugal/Cabo Verde
Reforço da cooperação é momento de viragem na economia nacional

Reforço da cooperação é momento de viragem na economia nacional

Aumentar para o dobro o apoio ao desenvolvimento de Cabo Verde representa também um momento de viragem na economia portuguesa. O primeiro-ministro assinalou este feito no âmbito da cimeira entre Portugal e o referido país africano, ocasião que aproveitou também para saudar a relação de amizade entre os dois povos.

 

Garantindo que o Governo português e os portugueses valorizam o desenvolvimento de Cabo Verde, António Costa formalizou com o seu homólogo cabo-verdiano, Ulisses Correia e Silva, o Programa Estratégico de Cooperação (PEC) que vem sendo negociado bilateralmente.

De acordo com o novo PEC 2017-2021, Portugal vai disponibilizar 120 milhões de euros a Cabo Verde, valor que duplica face ao programa semelhante que estava até agora em vigor.

Na conferência de Imprensa que se seguiu à IV Cimeira entre Portugal e Cabo Verde realizada na cidade da Praia, o primeiro-ministro português descreveu como “única” a relação entre os dois países, sublinhando que esta é baseada “na afetividade e na concretização de objetivos comuns”.

“Esta foi uma cimeira realizada em espírito de amizade entre os povos, povos que se relacionam com facilidade, pela língua e partilha de identidade cultural”, valorizou por sua vez turno o chefe do Executivo de Cabo Verde.

Na declaração conjunta que fechou os trabalhos, os executivos de ambos os países acordaram que o encontro bilateral “atestou, uma vez mais, a excelência das relações políticas e de cooperação”, bem como “a importância desta parceria estratégica, abrangente e diversificada”.

 

Um reforço de relações excelentes

A declaração conjunta assinada na cidade da Praia refere também que a IV Cimeira entre os governos de Portugal e de Cabo Verde sublinhou “a consistência das relações entre os dois países, baseadas numa história comum, numa amizade fraterna, e numa estreita parceria”.

E “atestou, uma vez mais, a excelência das relações políticas e de cooperação entre os dois países, e a importância desta parceria estratégica, abrangente e diversificada que se tem consubstanciado numa profícua concertação político-diplomática e numa intensa atividade económica pública e privada”.

Portugal e Cabo Verde sublinharam ainda o “desejo de reforçar o quadro de cooperação bilateral no domínio económico”, designadamente nas áreas do turismo, a economia marítima e a energia.

Além do primeiro-ministro, António Costa, a delegação portuguesa a este encontro incluiu os ministros dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, da Defesa Nacional, Azeredo Lopes, da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa, da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, do Ambiente, Matos Fernandes, e os secretários de Estado Adjunta, Mariana Vieira da Silva, dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação, Teresa Ribeiro, e Adjunta e da Educação, Alexandra Leitão.

 

Cooperação em 12 acordos

No âmbito da Cimeira da Praia, os governos de Portugal e Cabo Verde assinaram ainda 12 outros acordos bilaterais, nos domínios da Defesa, Justiça, Orçamento, Ambiente, Educação, tendo sido ainda inaugurada a Escola Portuguesa de Cabo Verde, Centro de Ensino e da Língua Portuguesa, que abriu para o ano letivo 2016/2017, um projeto há muito desejado por ambos os países e reconhecendo o seu contributo enquanto instrumento de cooperação bilateral no terreno no domínio educativo e de promoção do ensino da e em língua portuguesa.

 

Capa Edição Papel
 
EDIÇÃO Nº1414
Agosto 2019