1085

12 Nov 2019

| diretora: Edite Estrela

EDIÇÃO DIGITAL DIÁRIA DO ÓRGÃO OFICIAL INFORMATIVO DO PARTIDO SOCIALISTA

António Costa em Murça
Reforma do poder local é a melhor homenagem aos autarcas do país

Reforma do poder local é a melhor homenagem aos autarcas do país

O Secretário-geral do PS, António Costa, defendeu na passada sexta-feira, em Murça, distrito de Vila Real, que a descentralização que o Governo socialista quer concretizar já este ano é a melhor homenagem que pode ser prestada ao poder local, que celebra 40 anos em democracia.

 

“A melhor forma de homenagear o poder autárquico não é só dar parabéns a quem foi autarca ou a quem ainda é autarca, é sobretudo dar melhores condições para os autarcas que vão ser eleitos em outubro deste ano”, afirmou António Costa, num jantar que reuniu muitos autarcas, militantes e simpatizantes socialistas.

O líder do PS e primeiro-ministro reafirmou que esta é uma reforma que quer ver concretizada mobilizando o país e com “o apoio político alargado de todas as forças políticas representadas na Assembleia da República”.

“Esta não é uma reforma do PS mas de todos. É uma reforma na qual temos todos que nos mobilizar”, salientou, destacando a importância de “fazê-lo com os olhos postos no futuro”, dando aos autarcas que vão ser eleitos em outubro próximo “mais competências e meios para poderem fazer melhor pelas suas gentes e pelas suas terras”, o motivo pelo qual, sustentou, “vale a pena e faz sentido estar na vida política”.

 

Oposição revela desespero e raiva por ser possível fazer diferente

Na sua intervenção, António Costa acentuou a linha diferenciadora da política que o Governo do PS tem vindo a prosseguir, lamentando que PSD e CDS nada tenham para oferecer ao país a não ser uma manifestação de desespero, com “tricas” e ataques pessoais.

“Quando eu vejo agora a oposição muito irritada, muito enervada, todos os dias chama novos nomes, todos os dias inventa novas tricas, todos os dias faz mais ataques pessoais, o que eu vejo verdadeiramente ali é o desespero e a raiva porque perceberam que, tudo aquilo que disseram que não era possível, veem agora a ser concretizado”, afirmou.

“As portuguesas e os portugueses estão a acreditar que de facto é possível termos salários dignos e défice baixo, termos menos impostos e vivermos melhor. Sim é possível, foi possível e era possível fazer uma política diferente e é isso que estamos a provar que é possível acontecer”, sustentou o líder do PS.

Capa Edição Papel
 
EDIÇÃO Nº1414
Agosto 2019