1091

20 Nov 2019

| diretora: Edite Estrela

EDIÇÃO DIGITAL DIÁRIA DO ÓRGÃO OFICIAL INFORMATIVO DO PARTIDO SOCIALISTA

Televisão Digital Terrestre passa a integrar mais dois canais da RTP
Combater desigualdades e promover o conhecimento com a cultura e informação ao serviço dos cidadãos
AUTOR

Rui Solano de Almeida

DATA

17.11.2016

FOTOGRAFIA

DR

Combater desigualdades e promover o conhecimento com a cultura e informação ao serviço dos cidadãos

A inserção de mais dois novos canais da RTP na Televisão Digital Terrestre vai permitir o “combate às desigualdades e o reforço da qualificação e do conhecimento dos cidadãos”, defendeu ontem o ministro da Cultura, em Muge, no concelho de Salvaterra de Magos, distrito de Santarém, no âmbito de uma cerimónia de apresentação dos novos canais da televisão pública na plataforma da TDT.

 

O acesso integral e gratuito da RTP3 e da RTP Memória, os dois canais da televisão pública que ainda não integravam a plataforma da TDT, vai passar a beneficiar, já a partir do próximo dia 1 de dezembro, “cerca de 2,5 milhões de pessoas”, garantiu o ministro Luís Castro Mendes, salientando que a cultura e a informação, por “força da evolução tecnológica”, dependem “cada vez mais” dos meios audiovisuais e de redes digitais.

Falando para uma vasta plateia presente na cerimónia, o ministro da Cultura fez questão de recordar que este era um objetivo do programa do Governo, “que agora é cumprido”, defendendo que os canais da RTP “são cultura”, pelo que “contribuem para um melhor conhecimento e para uma melhor qualificação dos cidadãos”.

Classificando como “ absolutamente escandalosos” os níveis de oferta de conteúdos na TDT em Portugal, em relação aos outros países da Europa, Luís Castro Mendes foi mais longe, lembrando que, por ser serviço público, e por “receber a contribuição audiovisual do Estado”, a RTP “está menos sujeita à teoria das audiências”, não devendo contudo, como sustentou, “deixar de apostar na qualidade e em oferecer algo diferente”.

 

Cobertura em todo o território nacional

Sobre as questões de âmbito técnico da emissão dos novos canais da RTP na plataforma da televisão digital terrestre, Luís Castro Mendes garantiu que a difusão será feita “na maior parte das regiões” por via terrestre, com exceção de “algumas, poucas zonas”, onde essa difusão “será feita através de satélite”, garantindo contudo o governante que as emissões via TDT cobrem já “todo o território nacional”.

O responsável pela pasta da Cultura fez ainda questão de referir o “património arquivista” na posse da RTP que, segundo Luís Castro Mendes, constitui um bem “histórico absolutamente excecional”, apelando à sua rápida e urgente digitalização “a bem da cultura, da História e da preservação do património”.

Atualmente a TDT disponibiliza a RTP1, RTP2, SIC, TVI e canal Parlamento, havendo ainda capacidade para albergar mais dois canais.

AUTOR

Rui Solano de Almeida

DATA

17.11.2016

Capa Edição Papel
 
EDIÇÃO Nº1414
Agosto 2019