865

15 Nov 2018

| diretora: Edite Estrela

EDIÇÃO DIGITAL DIÁRIA DO ÓRGÃO OFICIAL INFORMATIVO DO PARTIDO SOCIALISTA

António Costa e homólogo do Luxemburgo defenderam novo impulso na UE
Notícias sobre a economia portuguesa “são boas e ainda serão melhores na próxima semana”
AUTOR

Partido Socialista

DATA

10.11.2016

FOTOGRAFIA

DR

Notícias sobre a economia portuguesa “são boas e ainda serão melhores na próxima semana”

O primeiro-ministro, António Costa, afirmou hoje que as notícias sobre a economia portuguesa “são boas” e que para a semana “ainda serão melhores”, manifestando deste modo plena confiança numa avaliação positiva da Comissão Europeia à proposta de Orçamento do Estado para 2017 apresentada pelo Governo português.

 

“São boas e para a semana ainda são melhores”, asseverou o chefe do Governo, no final de um encontro com o seu homólogo luxemburguês, ao ser questionado pelos jornalistas sobre as notícias mais recentes relativas às estimativas de Bruxelas sobre a economia portuguesa.

Recorde-se que a Comissão Europeia tem previsto para o próximo dia 16 o anúncio da avaliação à proposta de Orçamento do Estado português, estando depois agendada uma visita a Lisboa do comissário europeu para os assuntos económicos e financeiros, Pierre Moscovici.

Visão comum para o reforço da União Europeia

No final do encontro de trabalho com o primeiro-ministro do Luxemburgo, Xavier Bettel, os dois chefes de Governo manifestaram, em declaração conjunta, a partilha “de uma visão comum sobre a necessidade de reforçar a União Europeia”, dando prioridade à aposta na dinamização da economia.

“No próximo Conselho Europeu, em Roma, é preciso dar um novo impulso para uma União Europeia que seja cada vez mais forte e mais dinâmica”, sustentou António Costa, referindo-se depois à visita que o primeiro-ministro luxemburguês fará à Web Summit, que decorre em Lisboa, como um excelente sinal das prioridades que a Europa deve direcionar à dinamização da economia no espaço comum europeu.

“Uma economia assente na educação, na inovação e na investigação científica, ou seja, nos fatores que contribuem para uma economia dinâmica nesta era do conhecimento”, afirmou, acrescentando ser essencial a aposta no mercado único digital.

“Temos de aproveitar as oportunidades para que exista uma economia europeia cada vez mais forte”, defendeu o primeiro-ministro português.

Capa Edição Papel
 
EDIÇÃO Nº1411
Maio 2018