1066

15 Out 2019

| diretora: Edite Estrela

EDIÇÃO DIGITAL DIÁRIA DO ÓRGÃO OFICIAL INFORMATIVO DO PARTIDO SOCIALISTA

PT 2020
Reprogramação vai beneficiar investimento prioritário
AUTOR

João Quintas

DATA

13.09.2018

FOTOGRAFIA

dr

Reprogramação vai beneficiar investimento prioritário

A reprogramação dos fundos comunitários do Portugal 2020 (PT 2020) deverá ser aprovada “nas próximas semanas”, estima o ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques.

 

“A proposta foi aprovada por unanimidade e teve a participação dos governos regionais e da Associação Nacional de Municípios Portugueses”, disse ontem Pedro Marques, na comissão parlamentar de Economia, Inovação e Obras Públicas.

Após a aprovação pela Comissão Interministerial de Coordenação (CIC) do Acordo de Parceria, no passado dia 18 de julho, a proposta de reprogramação do PT 2020 seguiu para as instâncias europeias a quem compete a última palavra. De acordo com as expetativas do ministro, a decisão final da Comissão Europeia deverá ser anunciada até ao “início de outubro”.

No âmbito da audição parlamentar, Pedro Marques informou que o Governo português está a negociar com a União Europeia a reprogramação da aplicação dos fundos comunitários até 2020, por forma a reforçar as dotações em determinadas áreas consideradas prioritárias em termos de investimento.

Pedro Marques avançou que “a conflitualidade que tentaram criar” e “a crítica gratuita que durante alguns meses foi feita, em particular pelo maior partido da oposição, não encontrou sustentabilidade no terreno”, designadamente por parte das autarquias, dos governos regionais e dos agentes económicos e sociais, entre os quais a proposta para a repartição dos fundos “é consensual”.

O responsável do Planeamento e das Infraestruturas salientou que a mobilidade urbana é uma das áreas que está prevista na reprogramação, nomeadamente “com o financiamento de sistemas como o Metro e a linha de Cascais, mas também a questão de mobilidade no Mondego, que não tinha sido equacionada inicialmente”, esclareceu Pedro Marques.

O governante salientou, também, que a reprogramação dos fundos comunitários vai prever que as verbas sejam afetas a áreas como as qualificações e o ensino profissional, “que tinham sido cortadas no programa inicial como opção política do Governo anterior”.

O ministro do Planeamento e das Infraestruturas acrescentou que a estratégia de aplicação dos fundos europeus inclui um “sistema de incentivos” ao tecido empresarial, bem como “investimentos de proximidade” a ser feitos pelas autarquias, designadamente em equipamentos sociais, tais como escolas e centros de saúde, estando prevista para o efeito uma dotação total de cerca de 600 milhões de euros, disse.

 

Objetivos da reprogramação do PT 2020

Recorde-se que a reprogramação do Portugal 2020 tem como objetivos o reforço do alinhamento estratégico do programa com o Programa Nacional de Reformas, a concentração dos apoios e eficácia das políticas públicas e, ainda, a utilização complementar de diversas fontes de financiamento nacionais e europeias, o que permitirá maximizar o apoio dos fundos europeus ao investimento.

Com esta reprogramação, o Portugal 2020 desenvolver-se-á em torno de quatro linhas de força:

  • Incentivo ao investimento empresarial, com reforço dos apoios via Sistema de Incentivos e alavancagem através de instrumentos financeiros e linhas de crédito;
  • Aposta na qualificação dos portugueses, através da formação inicial e da formação ao longo da vida;
  • Apoio à mobilidade através de sistemas de transporte pesado e soluções inovadoras de transporte de passageiros;
  • Investimentos em equipamentos e infraestruturas de serviços básicos (educação, saúde, apoio social, património cultural e áreas de acolhimento empresarial).
AUTOR

João Quintas

DATA

13.09.2018

Capa Edição Papel
 
EDIÇÃO Nº1414
Agosto 2019