1027

22 Jul 2019

| diretora: Edite Estrela

EDIÇÃO DIGITAL DIÁRIA DO ÓRGÃO OFICIAL INFORMATIVO DO PARTIDO SOCIALISTA

Saúde
Governos da República e dos Açores acertam contas na Saúde
AUTOR

Rui Solano de Almeida

DATA

12.06.2018

FOTOGRAFIA

dr

Governos da República e dos Açores acertam contas na Saúde

Até ao final da legislatura vão ficar resolvidas as questões pendentes com os Açores na área da Saúde. A garantia foi ontem dada, em Angra do Heroísmo, pelo ministro Adalberto Campos Fernandes, à saída de uma reunião com o secretário regional da Saúde da região.

 

Segundo garantiu o ministro da Saúde, até ao final da presente legislatura, em 2019, todas as matérias relacionadas com as dívidas existentes entre os sistemas regional e nacional de saúde, referentes ao tratamento de habitantes dos Açores nos hospitais do continente e vice-versa, “vão ficar resolvidas”.

Adalberto Campos Fernandes, que falava aos jornalistas, no final de uma reunião com o secretário regional da Saúde dos Açores, Rui Luís, lembrou que o suporte para poder afirmar que haverá, até ao final da presente legislatura, em 2019, uma efetiva regularização das dívidas entre os dois sistemas de saúde, resulta das conclusões saídas do grupo de trabalho criado em julho de 2016, entre representantes do Governo Regional e da República, com o objetivo único, como acentuou, de “regularizar as dívidas existentes entre os dois sistemas”.

Como referiu o titular da pasta da Saúde, os dois governos, ao terem manifestado e assumido a coragem para enfrentar este problema, que se “arrastava há décadas”, e que agora, como resultado de um “exercício de reconciliação de grande complexidade”, que obrigou a “tipificar, classificar e a encontrar a fonte de dívida”, conhece finalmente uma data aproximada para se estabelecer um final para este problema.

Quanto à dúvida, se houve mais ou menos velocidade na resolução deste problema, Adalberto Campos Fernandes, depois de alegar que “depressa e bem não há quem”, sustentou que o que importa agora é que o “problema desapareça e não volte a aparecer”, lembrando que nestes processos o problema maior não é tanto “eliminar as pendências antigas”, mas “evitar que todos os dias apareçam novos problemas”.

 

Assinados protocolos

O ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, e o secretário regional da Saúde dos Açores, Rui Luís, assinaram neste encontro, que ontem teve lugar na Ilha Terceira, um memorando de cooperação que prevê, entre outras iniciativas, a formação de profissionais de saúde, designadamente a possibilidade de formação de especialidades médicas nos Açores, o que “permitiria uma maior fixação de profissionais nas diferentes ilhas”, a criação de um sistema de informação entre as duas instituições da saúde, para além da telemedicina e das compras agregadas de medicamentos.

O ministro fez questão de sublinhar que Portugal tem ainda “demasiadas dificuldades” e muitas fragilidades, não podendo, por isso, em sua opinião, “ser considerado um país rico”, o que obriga, como defendeu, que “nos devemos ajudar uns aos outros”, criando as sinergias possíveis.

AUTOR

Rui Solano de Almeida

DATA

12.06.2018

Capa Edição Papel
 
EDIÇÃO Nº1413
Maio 2019