1024

17 Jul 2019

| diretora: Edite Estrela

EDIÇÃO DIGITAL DIÁRIA DO ÓRGÃO OFICIAL INFORMATIVO DO PARTIDO SOCIALISTA

Parlamento
PS questiona Conselho de Administração da RTP sobre não transmissão da final da Taça de Portugal pela RTP Internacional e RTP África
AUTOR

Carla Alves

DATA

22.05.2018

FOTOGRAFIA

jorge ferreira

PS questiona Conselho de Administração da RTP sobre não transmissão da final da Taça de Portugal pela RTP Internacional e RTP África

Os deputados socialistas João Torres e Paulo Pisco pediram ontem esclarecimentos ao Conselho de Administração da RTP sobre as razões da não transmissão da final da Taça de Portugal na RTP Internacional e na RTP África, contrariando o que tinha sido anteriormente anunciado.

 

Em requerimento entregue na Assembleia da República, o coordenador socialista para a área da juventude e desporto e o coordenador dos deputados do PS na Comissão de Negócios Estrangeiros e Comunidades Portuguesas consideram que a final da Taça de Portugal constitui “um evento maior do desporto português e do futebol, em particular, considerado recorrentemente, inclusive, um acontecimento de interesse generalizado do público”, assinalando a normalidade com que decorreu o espetáculo desportivo do passado domingo no Estádio Nacional, no Jamor.

Contudo, os parlamentares do PS estranham que, “contrariamente ao anunciado publicamente a 1 de março, pelo Presidente do Conselho de Administração da Rádio e Televisão de Portugal e pelo Presidente da Direção da Federação Portuguesa de Futebol, e apesar da RTP ter adquirido os direitos de transmissão desse jogo da Taça de Portugal, nem a RTP Internacional, nem a RTP África efetuaram a sua transmissão”.

Recordando que este evento desportivo integra a lista de acontecimentos de interesse generalizado do público, os deputados do PS sublinham ainda o seu impacto “junto das comunidades portuguesas espalhadas pelos diversos cantos no mundo, para as quais o desporto é um meio de ligação permanente ao seu país”.

Nesse sentido, o PS requer “a prestação de esclarecimento, por escrito, do Conselho de Administração da Rádio e Televisão de Portugal, acerca desta matéria, no quadro estatutário do acompanhamento do funcionamento do serviço público”.

Capa Edição Papel
 
EDIÇÃO Nº1413
Maio 2019