1034

31 Jul 2019

| diretora: Edite Estrela

EDIÇÃO DIGITAL DIÁRIA DO ÓRGÃO OFICIAL INFORMATIVO DO PARTIDO SOCIALISTA

Reforma da Floresta
Gabinetes técnicos intermunicipais são passo de gigante
AUTOR

Mary Rodrigues

DATA

22.03.2018

FOTOGRAFIA

dr

Gabinetes técnicos intermunicipais são passo de gigante

Levar a bom porto uma reforma florestal de “grande alcance e de longo prazo” precisa de contar com “parceiros importantes” num vasto leque de participantes como são os municípios, afirmou o ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, em Santarém.

 

Durante a cerimónia de assinatura dos contratos de criação dos Gabinetes Técnicos Florestais Intermunicipais, Luís Capoulas Santos que os contratos ali assinados preveem o cofinanciamento, a partir do Fundo Florestal Permanente, da contratação de um engenheiro florestal que irá coordenar, à escala intermunicipal, estas estruturas.

Esta medida, entre outras, foi aprovada pelo Governo socialista liderado por António Costa, para assinalar o Dia Internacional da Floresta, que se comemora a 21 de março.

Segundo Capoulas Santos, “a constituição destas estruturas supramunicipais, que são os Gabinetes Técnicos Florestais, representa mais um passo decisivo na implementação da reforma da floresta” e assumem especial relevância “numa altura em que estão em conclusão os Planos Regionais de Ordenamento Florestal, cujo processo de elaboração deverá estar concluído no final do primeiro semestre” de 2018.

A partir dessa altura, os municípios passarão a integrar a componente florestal nos Planos Diretores Municipais, com regras de ordenamento da floresta à escala dos municípios, e, de forma integrada, à escala intermunicipal.

Trata-se, reafirmou o ministro, de “um passo de gigante que estamos a dar para disciplinar a floresta caótica, sobre a qual pouca intervenção tem havido”.

Referindo que “a preocupação do Governo é preparar o futuro, numa lógica de médio e longo prazo, pois o ordenamento e a gestão da floresta serão os melhores contributos para a prevenção dos incêndios”, o responsável pela tutela das florestas lembrou o papel fundamental da elaboração do cadastro na Reforma da Floresta.

E vincou que o projeto-piloto em curso, em 10 concelhos, já permitiu identificar cerca de 40 mil prédios rústicos num trimestre.

“Estão por identificar cerca de 600 mil” e “esta é uma tarefa que envolve várias áreas de governação e que é extremamente exigente, mas muito necessária", disse também, referindo-se à Justiça, Ambiente, Administração Interna e Agricultura.

A concluir, Capoulas Santos assegurou que a reforma agora iniciada irá muito para além do horizonte temporal deste Executivo, sendo por isso “necessário garantir condições para que haja continuidade e possa ser bem-sucedida”.

 

Capa Edição Papel
 
EDIÇÃO Nº1414
Agosto 2019