1046

17 Set 2019

| diretora: Edite Estrela

EDIÇÃO DIGITAL DIÁRIA DO ÓRGÃO OFICIAL INFORMATIVO DO PARTIDO SOCIALISTA

Educação
Unidades de apoio ao alto rendimento vão conciliar sucesso escolar e desportivo
AUTOR

Rui Solano de Almeida

DATA

19.03.2018

FOTOGRAFIA

dr

Unidades de apoio ao alto rendimento vão conciliar sucesso escolar e desportivo

O Governo vai aumentar, no próximo ano letivo 2019/20, de dez para doze o número de Unidades de Apoio ao Alto Rendimento nas Escolas, que atualmente abrangem “mais de três centenas de alunos/atletas da alta competição”, anunciou hoje em Lisboa, o ministro da Educação.

 

Falando esta manhã no final da cerimónia de assinatura do protocolo entre a Federação Portuguesa de Padel, a Direção-geral da Educação, o ClubeVII, a Escola Secundária Maria Amália Vaz de Carvalho e o Externato do Parque, iniciativa que vai permitir aos alunos destes estabelecimentos de ensino praticarem a modalidade gratuitamente juntamente com os professores de educação física, o ministro Tiago Brandão Rodrigues garantiu que, em 2019, o Governo vai “alargar as atuais dez unidades para doze”, afiançando que já estão protocolada e “contratualizada a abertura de mais duas unidades”, que entrarão em função já no próximo ano letivo.

Com a abertura de mais estas duas unidades, segundo o ministro da Educação, vai passar a ser possível que os atletas de alta competição “passem a dispor de um apoio tutorial” nas escolas e uma atenção por parte dos agrupamentos de escolas no seguimento dos seus estudos.

Recorde-se que foi em 2016 que estas Unidades de Apoio ao Alto Rendimento nas Escolas foram criadas, numa articulação entre os agrupamentos de escola, os encarregados de educação, as federações e os municípios, com o objetivo de estabelecerem e conciliarem o sucesso escolar com a prática desportiva de alunos do ensino secundário “enquadrados no regime de alto rendimento ou nas seleções nacionais”.

Uma iniciativa que, segundo Tiago Brandão Rodrigues, está já a dar excelentes resultados, tanto no campo da aprendizagem escolar, quanto na prática desportiva, com todos os dados a apontarem, como realçou, para que “85% dos atletas estudantes tenham alcançado sucesso escolar”.  

Trata-se, como salientou o titular da pasta da Educação, de “um número muito significativo” que vem demonstrar a “importância da aposta que este Governo fez nas carreiras duais”, compaginando a prática desportiva de alta competição com o sucesso do percurso escolar dos alunos do ensino secundário.

Tiago Brandão Rodrigues salientou ainda que o objetivo do Ministério da Educação que lidera é sensibilizar de forma exponencial as federações desportivas e os clubes para que os estudantes que queiram voluntariamente aderir a este modelo o possam fazer integrando-se nestes estabelecimentos de ensino, medida que na opinião do ministro da Educação “vai facilitar que esses alunos melhorem, não só a sua capacidade de aprendizagem académica, mas igualmente a sua performance desportiva. 

 

Maior clube nacional

Mostrando-se muito satisfeito com a assinatura deste protocolo, “um passo importante para o Padel nacional, mas também um passo importante para o maior clube nacional”, o desporto escolar, Tiago Brandão Rodrigues lembrou a este propósito que o desporto escolar “tem vindo a alargar-se em termos de modalidades”, somando hoje 37 modalidades, com mais de seis mil praticantes de desporto adaptado, num conjunto de “mais de uma dezena de modalidades de desportos adaptados”, recordando ainda que neste momento mais de 30 clubes a nível nacional já se “prontificaram a assinar protocolos com as escolas que estão perto destes clubes”, sendo este, como salientou, “um momento fundador muito importante”. 

O ministro da Educação teve ainda oportunidade, como “mero exemplo”, para lembrar que, no final de 2015, existiam 25 centros de formação desportiva relacionados com os desportos náuticos, sendo que hoje esses centros “são mais de 50”.

 

Capa Edição Papel
 
EDIÇÃO Nº1414
Agosto 2019