1034

31 Jul 2019

| diretora: Edite Estrela

EDIÇÃO DIGITAL DIÁRIA DO ÓRGÃO OFICIAL INFORMATIVO DO PARTIDO SOCIALISTA

Vieira da Silva
Situação dos jovens melhorou muito em dois anos
AUTOR

Rui Solano de Almeida

DATA

28.02.2018

FOTOGRAFIA

Jorge Ferreira

Situação dos jovens melhorou muito em dois anos

Para o ministro do Trabalho, José António Vieira da Silva, a situação dos jovens em Portugal "melhorou muito" nos dois últimos anos, quer em termos de emprego, quer no que respeita ao acesso à educação ou à inclusão social, garantindo que o Governo dispõe de "um conjunto de indicadores" que atestam esta realidade.

 

Segundo o governante, os dados que hoje se conhecem, "mostram claramente" que tem havido "uma evolução positiva" com o emprego jovem que "cresce mais do que o emprego global", havendo ainda a registar, como salientou, a "redução significativa", do abandono escolar precoce, e uma evolução positiva das taxas de pobreza.

Vieira da Silva reagia assim ao relatório da Cáritas Europa, segundo o qual, os jovens em Portugal estão ainda confrontados com situações de "desemprego, emprego precário, contratos irregulares e baixos salários", o que torna, na opinião desta organização, "muito difícil" a um jovem conseguir suportar os custos de habitação.

Para o ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, os dados que o Governo hoje dispõe não corroboram na totalidade a tese da Cáritas, salientando que apontam, pelo contrário, para uma evolução muito positiva do emprego jovem, dados que são aliás, como sustentou, certificados pelo último inquérito do INE, que mostra que existe uma "acentuada queda" do número de jovens que estão fora do emprego, da formação profissional e da educação.

Quanto às críticas de que as políticas de combate à pobreza desenvolvidas em Portugal na última década não terem conseguido alcançar o objetivo de quebrar os ciclos de transmissão da pobreza, estas mereceram da parte do ministro uma opinião de discordância, lembrando Vieira da Silva que nos dois últimos anos houve de facto uma inversão do ciclo de pobreza, nomeadamente ao nível dos mais novos, "com a criação de mais emprego jovem e com menos instabilidade e abandono escolar precoce".

 

 

 

 

 

AUTOR

Rui Solano de Almeida

DATA

28.02.2018

Capa Edição Papel
 
EDIÇÃO Nº1414
Agosto 2019