1034

31 Jul 2019

| diretora: Edite Estrela

EDIÇÃO DIGITAL DIÁRIA DO ÓRGÃO OFICIAL INFORMATIVO DO PARTIDO SOCIALISTA

Parlamento
PS quer criar Arquivo Sonoro Nacional para preservar e divulgar património
AUTOR

Catarina Correia

DATA

09.02.2018

FOTOGRAFIA

jorge ferreira

PS quer criar Arquivo Sonoro Nacional para preservar e divulgar património

O deputado socialista Pedro Delgado Alves apresentou hoje, no Parlamento, o projeto de resolução do PS que recomenda ao Governo a adoção de medidas conducentes à criação do Arquivo Sonoro Nacional. “É inegável o consenso parlamentar, não de hoje, mas também do passado, em torno da urgência na criação do Arquivo Sonoro Nacional”, apontou.

 

Para o partido, “o património material e imaterial constitui uma componente e uma marca muito relevante da nossa identidade e diversidade coletiva, seja cultural ou social”. Para além da responsabilidade coletiva em preservar e divulgar o património, o PS defende que se deve garantir o acesso à sua fruição, ao estudo e aprofundamento do conhecimento, bem como a sua transmissão às gerações vindouras.

Assim, “o património sonoro português integra e cruza-se como uma das muitas manifestações e expressões da criatividade da nossa história”, pode ler-se no diploma.

Pedro Delgado Alves explicou, durante o debate parlamentar, que “o que enfrentamos verdadeiramente é um duplo desafio: por um lado, continuar e prosseguir a tarefa de inventariação com vista à identificação do que está em mãos públicas e em mãos privadas, com vista à constituição de fundos, com vista também à separação daquilo que existe em suporte convencional e do que existe em suporte digital e criar as plataformas tecnológicas para poder assegurar a conservação; por outro lado, garantir, organizar e promover o acesso de todos os cidadãos a este património, de forma a que possa também, por essa via, ser não só um fator de salvaguarda de memória, mas também um fator de construção do presente e do futuro”.

O socialista revelou que já está em curso o “desenvolvimento de um trabalho interministerial”, que foi “desencadeado e renovado em 2017, e que já apresenta frutos relevantes para a concretização desta iniciativa”.

Capa Edição Papel
 
EDIÇÃO Nº1414
Agosto 2019