1005

18 Jun 2019

| diretora: Edite Estrela

EDIÇÃO DIGITAL DIÁRIA DO ÓRGÃO OFICIAL INFORMATIVO DO PARTIDO SOCIALISTA

Parlamento
PS quer estratégia nacional para Portugal 2030
AUTOR

Catarina Correia

DATA

02.02.2018

FOTOGRAFIA

jorge ferreira

PS quer estratégia nacional para Portugal 2030

O deputado socialista Fernando Rocha Andrade apresentou hoje, no Parlamento, o projeto de resolução do PS para a criação de uma Comissão Eventual de Acompanhamento do Processo de Definição da Estratégia Portugal 2030, no âmbito do Quadro Financeiro Plurianual pós-2020, “que pode permitir uma reflexão estruturada, potenciando todos os seus contributos para uma definição mais sólida de uma melhor estratégia nacional para um processo que condicionará o modelo de desenvolvimento do país em toda a próxima década”.

 

“Para Portugal, o Quadro Financeiro Plurianual pós-2020 será, indiscutivelmente, um instrumento de médio e longo prazo fundamental para apoiar o aumento e a melhoria dos fatores de competitividade do país, para modernizar a economia, diminuir as desigualdades sociais e para alicerçar o caminho de convergência com a União ora iniciado”, frisam os socialistas no diploma.

No entanto, Rocha Andrade lembra que, “por vezes, nem tudo é positivo no impacto dos fundos comunitários, nomeadamente porque exigem uma contrapartida nacional, e o encaminhamento dos recursos nacionais para essa contrapartida condicionou o investimento público que se fez em Portugal nos últimos 30 anos”.

Assim, Portugal deverá participar no processo de decisão comunitário relativo ao Quadro Financeiro Plurianual da UE pós-2020 “munido de uma estratégia nacional orientada por uma visão de futuro sustentável de coesão social e territorial, que inspire políticas públicas que enfrentem os desafios demográficos, laborais e de inclusão”, pode ler-se no projeto.

“A Comissão Europeia iniciou já, no passado mês de janeiro, a discussão pública sobre o Quadro Financeiro Plurianual posterior a 2020, e o Governo português também já iniciou um debate alargado em torno da estratégia nacional Portugal 2030. A Assembleia da República não deve estar alheia a este debate”, assegurou o parlamentar.

Capa Edição Papel
 
EDIÇÃO Nº1413
Maio 2019