865

15 Nov 2018

| diretora: Edite Estrela

EDIÇÃO DIGITAL DIÁRIA DO ÓRGÃO OFICIAL INFORMATIVO DO PARTIDO SOCIALISTA

Saúde e Segurança Social
Rede de Cuidados Continuados alarga cobertura no país
AUTOR

Partido Socialista

DATA

02.01.2018

FOTOGRAFIA

dr

Rede de Cuidados Continuados alarga cobertura no país

O Estado vai ampliar no próximo ano os lugares de internamento no quadro da Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados, através da celebração de contratos-programa com 45 entidades, que já receberam luz verde das áreas governativas das Finanças, Segurança Social e Saúde.

 

O despacho conjunto autoriza o Instituto da Segurança Social e as Administrações Regionais de Saúde a contratualizarem a criação de 543 novos lugares de internamento na rede geral e 364 lugares e camas de cuidados integrados de saúde mental, formalizando ainda a criação de 20 camas de cuidados pediátricos.

A criação destes lugares integra-se nas medidas previstas no Plano de Desenvolvimento da RNCCI, iniciado em 2016 e que se prolonga por 2018 e 2019, fazendo aumentar a percentagem do Orçamento da Saúde e da Segurança Social para os cuidados continuados e aproximando assim Portugal da média da União Europeia.

 

Experiências inovadoras com bons resultados

As camas de cuidados pediátricos, criadas em regime experimental em 2017, em Matosinhos, e agora formalizadas, representam uma resposta “absolutamente fundamental” para crianças com doença crónica complexa, estando agora em preparação a sua ampliação.

Outro modelo experimental que também ofereceu resultados muito positivos no último ano, foi a criação, em Évora, de uma equipa de cuidados continuados integrados para deslocação domiciliária.

Esta equipa dispõe de nove especialidades profissionais diferentes, que prestam cuidados a um máximo de 25 doentes, 12 horas por dia em regime presencial e as restantes 12 em resposta telefónica, durante todos os dias do ano.

Além de provar bons resultados terapêuticos, este modelo tem também um custo inferior, estimado em menos de metade do preço da unidade mais barata de internamento.

A Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados, criada em 2006, na vigência de um governo do PS, assenta num modelo de intervenção integrado da Saúde e da Segurança Social com o objetivo de proceder à recuperação, manutenção e prestação de cuidados integrados a doentes ou pessoas dependentes, envolvendo a participação e a colaboração de diversos parceiros sociais ou privados.

Este modelo ganha crescente relevância face ao aumento da esperança média de vida, das carências sociais e da necessidade de dar resposta de qualidade na área dos cuidados continuados integrados.

AUTOR

Partido Socialista

DATA

02.01.2018

Capa Edição Papel
 
EDIÇÃO Nº1411
Maio 2018