1034

31 Jul 2019

| diretora: Edite Estrela

EDIÇÃO DIGITAL DIÁRIA DO ÓRGÃO OFICIAL INFORMATIVO DO PARTIDO SOCIALISTA

Cimeira Luso-Marroquina
Portugal baixará fatura energética de forma consistente
AUTOR

Mary Rodrigues

DATA

06.12.2017

FOTOGRAFIA

dr

Portugal baixará fatura energética de forma consistente

Portugal vai manter a aposta no desenvolvimento das energias renováveis para atingir as metas do Acordo de Paris em matéria de descarbonização da economia, garantiu o primeiro-ministro, no final da 13ª Cimeira Luso-Marroquina, em Rabat.

 

Em conferência de Imprensa, António Costa assumiu o compromisso de continuar a baixar a fatura energética de forma “consistente”, até porque o nosso país, disse, é um Estado de direito e os contratos “têm de ser cumpridos”.

“O objetivo de redução da fatura energética tem vindo a ser prosseguido de forma consistente, através da criação da tarifa social de energia e com a revogação de uma decisão tomada pelo Governo anterior de permitir aos operadores repercutirem na tarifa a componente de tarifa social, entre outros benefícios”, recordou o governante português.

Depois, observou que a tecnologia oferece a oportunidade de criar energias renováveis já sem subsidiação.

E apontou, ainda neste ponto, que “foram licenciadas duas centrais de painéis solares pela primeira vez sem imputar custos aos consumidores”.

Ladeado pelo homólogo marroquino, Saadeddine El Othmani, o líder do Executivo português referiu que outra forma de baixar a fatura energética passa pela aposta nas interconexões energéticas.

Em relação ao projeto para a construção de um cabo de 220 quilómetros de interconexão elétrica entre Portugal e Marrocos, o primeiro-ministro adiantou que os governos de Lisboa e de Rabat decidiram avançar para a criação de grupos de trabalho, tendo em vista definir o modelo de financiamento da obra, que deverá arrancar durante o primeiro semestre de 2018.

“No primeiro trimestre do próximo ano teremos em Portugal uma cimeira também com a presença de Espanha, França e União Europeia para acelerar as interconexões energéticas”, adiantou António Costa, ressalvando que este projeto com Marrocos é da maior importância estratégica para os dois países

“Sobretudo com os objetivos de diversificar as fontes de produção e abastecimento de energia, o que melhorará a segurança neste domínio”, pontualizou.

António Costa referiu ainda que este projeto para a construção do cabo de interconexão elétrica pode ser complementado com um acordo assinado pela ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, pelo qual se procederá à transferência por via marítima de gás natural líquido proveniente dos Estados Unidos e com desembarque no porto de Sines.

“O trabalho com Marrocos neste domínio é da maior importância e marcará seguramente as relações entre os dois países no século XXI”, considerou.

 

Assinados 12 acordos de cooperação

Durante a XIII Cimeira Luso-Marroquina, António Costa e Saadeddine El Othmani presidiram à assinatura de 12 acordos de cooperação bilateral.

“Estes 12 acordos espelham bem a intensidade das nossas relações políticas e económicas”, afirmou Costa na conferência de Imprensa conjunta com o homólogo marroquino.

Entre os acordos, destacam-se ações conjuntas de Portugal e Marrocos em países terceiros, nomeadamente na área das energias renováveis.

Em matérias económicas, os governantes assinaram acordos de cooperação entre as duas agências nacionais de energia, nas áreas do turismo, da geologia e minas, e no domínio portuário e marítimo.

Foram também assinados acordos nas áreas da saúde, do emprego, e do trabalho e proteção social, bem como na da modernização administrativa, em matéria de Governo digital e tecnologias de informação.

Portugal e Marrocos assinaram ainda acordos para ações conjuntas no campo da cultural, particularmente no cinema e no audiovisual.

Capa Edição Papel
 
EDIÇÃO Nº1414
Agosto 2019