1034

31 Jul 2019

| diretora: Edite Estrela

EDIÇÃO DIGITAL DIÁRIA DO ÓRGÃO OFICIAL INFORMATIVO DO PARTIDO SOCIALISTA

Espaço Comércio
Governo cria “loja do cidadão” para comerciantes
AUTOR

Rui Solano de Almeida

DATA

29.11.2017

FOTOGRAFIA

dr

Governo cria “loja do cidadão” para comerciantes

A partir do próximo dia 15 de dezembro, o Governo, em parceria com a Câmara Municipal de Lisboa (CML), segundo anunciou o secretário de Estado Adjunto e do Comércio, Paulo Alexandre Ferreira, vai lançar um novo espaço designado por “Espaço Comércio”, que visa simplificar a relação dos comerciantes com os serviços da Administração Pública.

 

Segundo o secretário de Estado do Comércio, o Governo e a CML, respondendo positivamente ao desafio lançado pela União de Associações do Comércio e Serviço, vai lançar já no próximo mês de dezembro, um novo espaço onde serão disponibilizados mais de 140 serviços, pensados e voltados para responder às solicitações e preocupações dos comerciantes, quer seja em relação ao “início, expansão, alteração ou mesmo de extinção de atividade”.

Um espaço que disponibilizará um conjunto de serviços que terão como função ajudar a simplificar a vida dos comerciantes sempre que tenham assuntos a tratar com os serviços da Administração Pública, sendo por isso um projeto, como sublinha o governante, que visa, “tornar mais acessível a informação relevante” para que estes agentes económicos possam “desempenhar da melhor forma a sua atividade”.

De entre os 140 serviços que serão instalados neste novo “Espaço Comércio”, garantiu Paulo Alexandre Ferreira, vão estar presentes entidades como a Autoridade de Segurança Alimentar e Económica, a Direção Geral do Consumidor, a Direção Geral das Atividades Económicas ou ainda a Câmara Municipal de Lisboa.

 

Reduzir custos de contexto

Para o secretário de Estado Adjunto e do Comércio, esta iniciativa insere-se num contexto mais vasto, há muito defendido pelo Governo, que tem aliás vindo a lançar um “conjunto de outras medidas”, que visam “reduzir os custos de contexto para as empresas”, defendendo o governante que este novo “Espaço Comércio”, agora anunciado, assume um caráter especialmente “relevante”, quando se pensa, como referiu, que as empresas neste sector de atividade são sobretudo micro e pequenas, onde o “peso dos custos de contexto são mais significativos”.

Segundo o secretário de Estado, o facto de se ter optado por reunir num único ponto todos os serviços vocacionados, para responder às dúvidas e dar as informações necessárias aos comerciantes, permitirá que os empresários estejam mais informados, mas também mais responsabilizados para cumprirem com as suas obrigações e com as regras legais estabelecidas. Paulo Alexandre Ferreira garantiu ainda que o Governo tem a intenção de alargar futuramente este projeto a todo o país, “através de outras parcerias”, com a certeza, acrescentou, de que este tipo de iniciativas são fundamentais para ajudar a “dinamizar a iniciativa privada” e, por esta via, a que “sejam mais inovadoras”.

Capa Edição Papel
 
EDIÇÃO Nº1414
Agosto 2019