1008

25 Jun 2019

| diretora: Edite Estrela

EDIÇÃO DIGITAL DIÁRIA DO ÓRGÃO OFICIAL INFORMATIVO DO PARTIDO SOCIALISTA

OE2018
Orçamento consagra matérias importantes para a região da Madeira
AUTOR

Mary Rodrigues

DATA

22.11.2017

FOTOGRAFIA

dr

Orçamento consagra matérias importantes para a região da Madeira

Todas as matérias relevantes para a Madeira vão estar consagradas no Orçamento de Estado para 2018 (OE2018), garantiu o líder socialista regional, numa conferência de Imprensa na qual deixou claro que algumas situações estão condicionadas por falhas do Governo PSD de Miguel Albuquerque.

 

Segundo destacou Carlos Pereira, “o OE já consagra matérias muito relevantes para a Madeira”, enunciando a inscrição do aumento de verbas para os apoios à mobilidade entre esta região autónoma e o território continental, o reforço do apoio de meios aéreos para combate a incêndios na região e a manutenção das verbas das transferências financeiras no âmbito da Lei de Finanças Regionais.

O presidente dos socialistas madeirenses salientou também que a proposta orçamental do Executivo socialista nacional vai reinscrever o compromisso do cofinanciamento da construção do novo hospital, tendo a República prometido 50% do investimento que está estimado em 340 milhões de euros.

Como novidade, o dirigente socialista regional realçou que o OE/2018 vai consagrar a “possibilidade de renegociação dos juros da dívida” da Madeira à República na sequência do programa de ajustamento económico e financeiro regional, cujo serviço “está sujeito a juro muito elevado”.

No seu entender, “o Estado deve ter um sinal de solidariedade” nesta matéria, cabendo agora ao Executivo madeirense “fazer a sua parte, em articulação com o Governo da República para estabelecer a redução da taxa”.

Segundo o líder do PS-Madeira, outro tema que vai constar do OE/2018 é o apoio para os emigrantes da Venezuela que estão a regressar.

 

Falhas do Executivo Regional afetam apoios da República

Mas, Carlos Pereira não deixou passar as falhas do Governo Regional em matéria de necessidade de informação para afinar melhor os apoios que a Republica vai dar à Madeira.

Para responsável do PS-M, “fica nas mãos do PSD e do Governo Regional a realização do hospital e da concretização” deste projeto.

E criticou, lamentando, a existência de “mais falhas” do Executivo madeirense no que respeita aos apoios para as habitações afetadas pelos incêndios de agosto de 2016 na Madeira.

“Falta afinar os apoios para a habitação consagrados em 2017”, declarou, sustentando que, “infelizmente, o Governo Regional não executou todo o investimento previsto”.

Na opinião de Carlos Pereira, “isso ficou claro porque o Governo [madeirense] apenas enviou 35 processos para reabilitação de habitações dos 107 levantados”.

Além disso, reforçou, “desses seis estão assinados, só dois estão em análise e o Governo Regional retirou nove porque não tinham condições para serem apresentados”.

Relativamente aos 70 restantes, enfatizou, “não há nenhuma informação daquela que a Investimentos Habitacionais da Madeira (IHM) tinha de fazer para o Governo atuar”.

Sobre a comparticipação no realojamento, mencionou que a IHM “apresentou 40 dos 74 processos”, que estão em fase de resolução, não tendo enviado informação sobre os restantes casos.

“Os compromissos foram assumidos na íntegra e há falha de celeridade do Governo Regional em relação a esta matéria”, sublinhou Carlos Pereira, informando que os 2,5 milhões de euros que a Madeira não gastou nesta rubrica foram transferidos para o OE2018, totalizando cerca de cinco milhões de euros.

AUTOR

Mary Rodrigues

DATA

22.11.2017

Capa Edição Papel
 
EDIÇÃO Nº1413
Maio 2019