1003

14 Jun 2019

| diretora: Edite Estrela

EDIÇÃO DIGITAL DIÁRIA DO ÓRGÃO OFICIAL INFORMATIVO DO PARTIDO SOCIALISTA

Carlos César
PS satisfeito com posse dos novos ministros antes da moção de censura
AUTOR

Catarina Correia

DATA

19.10.2017

FOTOGRAFIA

dr

PS satisfeito com posse dos novos ministros antes da moção de censura

“A circunstância de o senhor Presidente da República ter marcado a posse de dois ministros para o próximo sábado, antes da discussão na Assembleia da República da moção censura do CDS-PP ao Governo, não deixa de ter o seu significado político”, considerou hoje Carlos César, no Parlamento, antes da reunião semanal da bancada do PS.

 

O líder parlamentar socialista referia-se à tomada de posse do ministro Eduardo Cabrita para a pasta da Administração Interna, substituindo Constança Urbano de Sousa, e de Pedro Siza Vieira, o novo ministro Adjunto.

“Estamos também muito confiantes que a discussão e o resultado da votação da moção de censura culminarão numa manifestação de confiança e de estabilidade no Governo e na política portuguesa”, considerou Carlos César.

Segundo o presidente da bancada socialista, para o partido “é muito relevante” que a escolha de Eduardo Cabrita por António Costa para o lugar de ministro da Administração Interna “tenha recaído numa personalidade profundamente conhecedora da administração pública e do país, e com um curriculum que lhe permitirá desempenhar essas funções com a eficiência necessária”.

Carlos César explicou ainda que a escolha por parte do primeiro-ministro de alguém que já está dentro do Governo permite que “todo o trabalho que tem sido feito nestes últimos meses de preparação de medidas no âmbito da reforma global do sistema de Proteção Civil seja plenamente aproveitado por essa experiência e por essa participação de Eduardo Cabrita nestes trabalhos preparatórios da resolução, que será aprovada no Conselho de Ministros” extraordinário do próximo sábado.

 

Nenhuma vítima dos incêndios ficará sem ajuda

O líder parlamentar socialista referiu-se também aos incêndios florestais, garantindo que nenhuma vítima ficará sem ajuda, e prometeu o contributo do PS numa reforma intensa do sistema de Proteção Civil.

“O PS tem dado contribuições, continuará a fazê-lo para que sejam tomadas medidas para este novo ciclo de maior confiança e alívio dos portugueses perante a repetição de situações desta natureza”, afirmou. No entanto, sublinhou que as medidas de médio e longo prazo, que se vão tomar no Conselho de Ministros extraordinário, só fazem sentido se se olhar para quem tudo perdeu.

“Sabemos de pessoas que perderam a sua terra, o seu sustento, conhecemos famílias que foram decepadas e milhares de pessoas que perderam as suas memórias, o Governo terá que ter uma atenção muito grande para que estas famílias, estas pessoas e as empresas que despareceram sejam reabilitadas e ressarcidas”, defendeu.

 

Capa Edição Papel
 
EDIÇÃO Nº1413
Maio 2019