1047

18 Set 2019

| diretora: Edite Estrela

EDIÇÃO DIGITAL DIÁRIA DO ÓRGÃO OFICIAL INFORMATIVO DO PARTIDO SOCIALISTA

Incêndios
Recomendações da Comissão Independente serão acolhidas pelo Governo
AUTOR

Rui Solano de Almeida

DATA

12.10.2017

FOTOGRAFIA

DR

Recomendações da Comissão Independente serão acolhidas pelo Governo

O Governo garante que vai acolher as sugestões e as recomendações que considere pertinentes contidas no relatório da Comissão Técnica Independente sobre os incêndios na região Centro, garantiu hoje em Oeiras, o ministro Capoulas Santos.

 

O ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural falava à margem da Cimeira internacional “Agri Innovation Summit”, encontro sobre a inovação na agricultura, que decorreu hoje em Oeiras, garantindo Capoulas Santos que o Governo vai “certamente acolher” e pôr em execução as recomendações “pertinentes” que vierem a ser sugeridas pela Comissão Independente que está a investigar e a analisar as causas dos recentes incêndios florestais que aconteceram este verão na região Centro do país.

O ministro anunciou também que na próxima semana estará em Bruxelas para participar na discussão sobre a nova reprogramação do Programa de Desenvolvimento Rural (PDR), onde espera que sejam aprovadas novas e importantes medidas na área da política florestal que, entre outros aspetos, possam “agilizar e reconfigurar” algumas medidas para as quais Portugal “dispõe já de um envelope financeiro considerável”, entre os 250 e os 300 milhões de euros disponíveis até 2020.

 

Reforma da floresta prioritária

Capoulas Santos sublinhou ainda que a prioridade do Governo “é a reforma da floresta”, lembrando que agora “já só falta a aprovação de dois diplomas” que estão em apreciação no Parlamento, sendo que um será discutido, como anunciou, já amanhã, sexta-feira, dia 13 de outubro, enquanto o segundo, sobre os incentivos fiscais para as organizações florestais que venham a gerir a floresta, será “discutido muito em breve”.

Com a aprovação destes dois últimos diplomas, defendeu o ministro, o país passará a ter “todas as condições” para pôr em marcha a reforma da sua floresta, com especial ênfase “nos municípios que foram afetados pelos recentes incêndios florestais em Pedrógão Grande”.

Capa Edição Papel
 
EDIÇÃO Nº1414
Agosto 2019