1003

14 Jun 2019

| diretora: Edite Estrela

EDIÇÃO DIGITAL DIÁRIA DO ÓRGÃO OFICIAL INFORMATIVO DO PARTIDO SOCIALISTA

Comunidades
Língua portuguesa é uma competência fundamental para a integração
AUTOR

Rui Solano de Almeida

DATA

25.07.2017

FOTOGRAFIA

DR

Língua portuguesa é uma competência fundamental para a integração

A língua e a cultura portuguesas “devem ser complementares à boa integração nas sociedades de acolhimento”, defendeu ontem em Lisboa o ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva.

 

Falando na conferência “Aprender e ensinar português em contexto multilingue”, o ministro dos Negócios Estrangeiros, depois de enaltecer a língua e a cultura portuguesas, defendendo que elas representam “uma competência adicional” para quem se quer integrar nas sociedades de acolhimento, destacou a importância do que designou por o “elo de ligação” que Portugal representa no domínio da língua, da história e da cultura.

Com efeito, para Santos Silva, ter um “bom domínio” da língua portuguesa, mas também da cultura e da história portuguesas, não deve ser encarado “apenas como um dever pessoal de ligação a um passado”, mas como uma “competência adicional” que vale no “mundo de hoje”, quer do ponto de vista da comunicação, da realização pessoal e da integração, mas também como uma importante mais-valia na procura de emprego e na integração no mundo dos negócios e na economia.

 

Ligação aos emigrantes

O titular da pasta dos Negócios Estrangeiros destacou ainda algumas outras dimensões, que classificou como “complementares”, relacionadas com o português, designadamente a ligação aos emigrantes, lembrando que é “através do ensino da língua no estrangeiro” que se cria “um dos traços principais de identidade” na ligação entre os países que têm o português como língua oficial, sendo que o idioma nacional representa ainda, na sua opinião, “um dos principais instrumentos da influência e de projeção de Portugal a nível internacional”, sendo esta uma das razões fundamentais, garante Santos Silva, que estão a estimular o Governo a fazer “progredir a presença do português como língua estrangeira nos currículos de diferentes países”.

AUTOR

Rui Solano de Almeida

DATA

25.07.2017

Capa Edição Papel
 
EDIÇÃO Nº1413
Maio 2019