1026

19 Jul 2019

| diretora: Edite Estrela

EDIÇÃO DIGITAL DIÁRIA DO ÓRGÃO OFICIAL INFORMATIVO DO PARTIDO SOCIALISTA

Edite Estrela

Opinião

AUTOR

Alexandre Quintanilha

DATA

10.07.2017

TÓPICOS

Encontro Ciência 2017

No ano em que se comemoram os 20 anos da criação da Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), e os 50 anos da criação da Junta Nacional de Investigação Científica e Tecnológica (JNICT), este encontro Ciência 2017 foi concebido para promover o debate alargado e transdisciplinar dos principais temas e desafios da agenda científica atual.

 

Inscreveram-se neste encontro, que se realizou no Centro de Congressos de Lisboa durante três dias (3 a 5 de julho), mais de quatro mil investigadores, empreendedores e outros atores da sociedade em geral.

O programa “foi construído com base numa solicitação a todas as unidades de investigação e Laboratórios de Estado de propostas livres bottom-up que foram depois organizadas” em agendas temáticas, sessões paralelas e sessões plenárias. Pela primeira vez houve um país convidado – a Índia. Houve perto de 80 sessões paralelas cobrindo praticamente todos os domínios do conhecimento, das ciências naturais às sociais e às humanidades. As sessões plenárias debruçaram-se sobre as Competências Digitais, a Diplomacia, o Cancro e as interações com a Europa e o Mediterrâneo.

Os Grupos Parlamentares da Comissão Parlamentar de Educação e Ciência fizeram-se representar pelos deputados Porfírio Silva (PS), Margarida Mano (PSD), Luís Monteiro (BE), Ana Rita Bessa (CDS-PP) e Ana Mesquita (PCP). As suas intervenções concisas e muito atuais, foram muito bem-recebidas pelos participantes, muitos dos quais nos transmitiram o seu desejo de um maior diálogo com os deputados da Assembleia da República.

Nas democracias, a solidez do trabalho parlamentar depende criticamente da qualidade da informação acessível. Todos percebem que essa informação deve ser atual, imparcial, robusta e crítica. Avaliar os possíveis impactos sociais, económicos e ambientais do novo conhecimento e das suas aplicações deve fundamentar toda a legislação que se quer responsável. Numa altura em que os desafios nacionais, europeus e globais necessitam de um diálogo cada vez maior, e mais difícil, entre diferentes domínios do conhecimento, encontros desta natureza são fundamentais para estimularem essas interações.  O balanço final confirmou plenamente essa necessidade.

Com o apoio do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, o encontro foi organizado pela FCT em colaboração com a Ciência Viva - Agência Nacional para a Cultura Científica e Tecnológica e com a Comissão Parlamentar de Educação e Ciência. O próximo encontro ficou já planeado para a primeira semana de julho em 2018. Marquem nos vossos calendários.

AUTOR

Alexandre Quintanilha

DATA

10.07.2017

TÓPICOS
Capa Edição Papel
 
EDIÇÃO Nº1413
Maio 2019