865

15 Nov 2018

| diretora: Edite Estrela

EDIÇÃO DIGITAL DIÁRIA DO ÓRGÃO OFICIAL INFORMATIVO DO PARTIDO SOCIALISTA

Contas públicas
Défice do primeiro trimestre reflete rigor na gestão orçamental
AUTOR

Rui Solano de Almeida

DATA

23.06.2017

FOTOGRAFIA

DR

Défice do primeiro trimestre reflete rigor na gestão orçamental

Só com uma “gestão rigorosa” da execução orçamental foi possível que o défice, no primeiro trimestre deste ano, tenha sido de 2,1%. Comparando com os 3,3% em período homólogo, o Ministério das Finanças destaca a “trajetória de melhoria das contas públicas”.

 

Depois de o Instituto Nacional de Estatística (INE) ter revelado que o défice no primeiro trimestre de 2017 ficou nos 2,1% do produto, o Governo veio já publicamente, em comunicado, através do Ministério das Finanças, afirmar que esta melhoria das contas públicas só está a ser possível graças a uma clara, rigorosa e continuada “gestão da execução orçamental”.

Segundo o Ministério das Finanças, esta diminuição do défice face ao período homólogo “reflete uma melhoria do saldo corrente”, que passou de 2,2% no primeiro trimestre de 2016, para 0,8% no arranque deste ano, dados que, na opinião do Ministério liderado por Mário Centeno, vêm, neste momento, “corroborar a dinâmica positiva que caracteriza a economia portuguesa”, confirmando a “tendência de diminuição do défice das contas públicas” e revelar-se “compatível com as previsões apresentadas, quer no Orçamento do Estado para 2017, quer no Programa de Estabilidade 2017/20121”.

Recorde-se que a meta definida pelo Governo e já anunciada pelo ministro Mário Centeno para o défice de 2017 é de 1,5% do PIB, encontrando-se estes resultados hoje divulgados pelo INE, em linha, segundo o Ministério das Finanças, com o compromisso do Governo, que já assumiu que fará uma gestão “criteriosa das contas públicas” de modo a assegurar a sua “sustentabilidade e a estimular o crescimento económico”.

 

AUTOR

Rui Solano de Almeida

DATA

23.06.2017

Capa Edição Papel
 
EDIÇÃO Nº1411
Maio 2018