1027

22 Jul 2019

| diretora: Edite Estrela

EDIÇÃO DIGITAL DIÁRIA DO ÓRGÃO OFICIAL INFORMATIVO DO PARTIDO SOCIALISTA

Venezuela
Governo atento à segurança dos portugueses e lusodescendentes
AUTOR

Mary Rodrigues

DATA

31.05.2017

FOTOGRAFIA

DR

Governo atento à segurança dos portugueses e lusodescendentes

Há 60 dias que os protestos, envolvidos em violentos confrontos que já deixaram dezenas de mortos, agitam as ruas de Caracas e de várias cidades e localidades da Venezuela. Em causa: a exigência de uma mudança de regime. No centro das preocupações do Governo socialista estão os milhares de portugueses e lusodescendentes que permanecem neste país da América do Sul. O secretário de Estado das Comunidades foi ao encontro desta dramática realidade.

 

“Eu tinha intenção de visitar a Venezuela, mas naturalmente quando as condições de vida social, económica e também política se deterioraram, a urgência desse encontro, dessa presença, ganhou outro destaque, porque a presença do Governo é sempre uma demonstração de que os portugueses não estão esquecidos, estão no centro das nossas preocupações e de todas as estruturas do Estado português”, disse José Luís Carneiro.

No âmbito de uma visita de quatro dias, que realiza conjuntamente com o secretário regional dos Assuntos Parlamentares e Europeus da Madeira, Sérgio Marques, José Luís Carneiro está na Venezuela para “manter os canais de comunicação em bom funcionamento”.

Trata-se pois de manter pontes de informação com as autoridades venezuelanas, “que são indispensáveis para garantir e promover as condições de segurança e de bem-estar dos portugueses”.

E saudou “a relação de boa cooperação” com dezenas de associações luso-venezuelanas que estão muito ativas na vida coletiva da comunidade, nomeadamente de caráter social e que desenvolvem um trabalho muito importante de identificação de casos de necessidade, mas também de mobilização de recursos para apoiar essas famílias”.

O Executivo liderado por António Costa quer verificar igualmente “o modo como os serviços consulares estão a procurar corresponder às necessidades” que são colocadas por aqueles que querem requerer documentação.

Mas Carneiro e Marques vão encontrar-se também com empresários, “porque na Venezuela há centenas de empresas portuguesas”, desde as pequenas empresas de comércio à distribuição, até grandes empresas dos setores agroalimentar e nas infraestruturas essenciais do país (transporte e comércio internacional).

 

Portugal próximo e solidário

À chegada à Venezuela, o secretário de Estado das Comunidades visitou as obras de expansão do Porto de La Guaira, o principal do país, que foi ampliado pela empresa Teixeira Duarte, contando com mais de 5 mil trabalhadores na construção.

Durante a visita, destacou que La Guaira é um porto marítimo que está numa região que representa 10% do comércio mundial e que será uma empresa portuguesa a operar a sua gestão e administração.

José Luís Carneiro explicou ainda que a grande maioria dos portugueses que se encontra na Venezuela “pretende fazer da Venezuela o seu país de futuro”.

“Para muitos é a sua pátria, naturalmente com um sentimento hereditário muito forte a Portugal”, referiu, salientando que esta visita à Venezuela serve para lhes dizer que “Portugal está com eles num momento especialmente difícil do ponto de vista social e económico, com condições graves do ponto de vista da segurança”.

“A proximidade do secretário de Estado com as pessoas é uma proximidade do Governo, de Portugal, do seu primeiro-ministro, do ministro dos Negócios Estrangeiros, e é de todo o país, também do senhor Presidente da República”, enfatizou.

Capa Edição Papel
 
EDIÇÃO Nº1413
Maio 2019