1026

19 Jul 2019

| diretora: Edite Estrela

EDIÇÃO DIGITAL DIÁRIA DO ÓRGÃO OFICIAL INFORMATIVO DO PARTIDO SOCIALISTA

Edite Estrela

Opinião

AUTOR

Edite Estrela

DATA

04.04.2017

TÓPICOS

JÁ NÃO HÁ PACIÊNCIA PARA TRUMP

Donald Trump soma e segue a via do despautério. Aqueles que acreditaram que Trump-presidente seria diferente de Trump-candidato devem concluir que é diferente, para pior. Quase diariamente, Trump-presidente toma decisões que são verdadeiros atentados à democracia e aos direitos humanos, afetam o equilíbrio dos ecossistemas, põem em causa a segurança das pessoas e representam atrasos civilizacionais.

 

São tantos e tão graves os desmandos que já nem se liga à linguagem boçal, xenófoba e sexista, imprópria de um governante. Vamo-nos ainda surpreendendo com a insanável ignorância e as persistentes mentiras com que “justifica” rasgar tratados internacionais e atirar para o lixo o legado legislativo de Obama. E já poucos se chocam com as atitudes de compadrio, nepotismo e desrespeito pelas elementares regras de um Estado de direito. Não há sombra de racionalidade no discurso e na ação do presidente dos Estados Unidos. A linguagem é emocional, o gesto é hiperbólico e a ação é ruinosa. Com isso conquistou adeptos. Por isso é mais difícil desmascará-lo.  

Trump-candidato prometeu aos americanos resolver os problemas da criminalidade e do terrorismo; combater o islamismo radical e a imigração; travar a deslocalização de capitais e aumentar o investimento em infraestruturas; enfrentar o poder económico da China e construir um muro na fronteira com o México; reduzir os encargos militares e de apoio ao desenvolvimento de países estrangeiros e reforçar o orçamento de defesa do território norte-americano. E comprometeu-se a acabar com a corrupção e o desemprego.

Trump-presidente fechou as fronteiras aos imigrantes de vários países; denunciou unilateralmente acordos internacionais; insultou povos, Estados soberanos e a União Europeia, ao mesmo tempo que elogia a extrema-direita europeia; gere a respublica como se fosse uma das suas empresas, afastando quem não lhe agrada e nomeando familiares e amigos indefetíveis para os altos cargos do Estado.

A imagem de Trump, rodeado de mineiros, a assinar a reversão do plano de energia limpa de Obama - acabando com os limites à emissão de CO2, rejeitando o acordo de Paris e toda a evidência científica sobre alterações climáticas e com isso contribuindo para aumentar o aquecimento global do planeta, agravar a qualidade do ar e prejudicar a saúde dos americanos - diz mais sobre a personagem que milhares de palavras. É a imagem da alarvidade histriónica, da ignorância atrevida, do retrocesso civilizacional, da decadência moral… 

Até quando Trump irá abusar da nossa paciência?  

AUTOR

Edite Estrela

DATA

04.04.2017

TÓPICOS
Capa Edição Papel
 
EDIÇÃO Nº1413
Maio 2019