1028

23 Jul 2019

| diretora: Edite Estrela

EDIÇÃO DIGITAL DIÁRIA DO ÓRGÃO OFICIAL INFORMATIVO DO PARTIDO SOCIALISTA

Modernização Administrativa
Governo lança projeto Papel Zero
AUTOR

Mary Rodrigues

DATA

03.02.2017

FOTOGRAFIA

Jorge Ferreira

Governo lança projeto Papel Zero

O Governo avança já este ano com a criação de um projeto-piloto, o “Papel zero”, a ser integrado pela Secretaria-Geral da área de Governo da Justiça, pela Direção-Geral do Ensino Superior e pelo Turismo de Portugal.

 

Trata-se de desmaterializar totalmente os “processos internos e externos, incluindo a comunicação com outras entidades públicas, com os cidadãos e as empresas”, visando “identificar e superar os eventuais constrangimentos decorrentes da implementação do diploma e fornecer informação para o aprofundamento das medidas necessárias ao cumprimento da resolução”.

A implementação e o cumprimento dos objetivos fixados serão avaliados até 31 de dezembro de 2017, altura em que serão definidas novas medidas e metas para 2018.

Os objetivos desta medida comportam, também, uma dimensão ambiental de uso eficiente de recursos, tanto pela diminuição da utilização de papel, como pela redução dos produtos e consumíveis de impressão, e consequente minimização da quantidade e perigosidade de resíduos produzidos.

Na reunião de Conselho de Ministros em que foi anunciado o lançamento deste este projeto, foram aprovadas também outras medidas que permitirão, igualmente, a redução do consumo de papel e demais consumíveis de impressão na Administração Pública, promovendo a otimização de processos e a modernização de procedimentos administrativos.

 

Poupança de 20%

Na conferência de imprensa após a reunião do Executivo do PS, a ministra da Presidência e da Modernização Administrativa, Maria Manuel Leitão Marques, referiu que o diploma fixa metas anuais de redução dos gastos para 2017 de, pelo menos, 20% do montante previsto no orçamento de cada uma das entidades e serviços abrangidos.

Recorde-se que a 19 de maio de 2016, na apresentação do Simplex+, o primeiro-ministro já tinha manifestado o objetivo de reduzir a despesa anual de cerca de 52 milhões de euros em material de escritório, com destaque para os 30 milhões em folhas de papel.

Na altura, António Costa exemplificou algumas soluções como a obrigação de imprimir frente e verso e a redução de impressoras para apenas uma por andar ou mesmo por edifício.

 

Capa Edição Papel
 
EDIÇÃO Nº1413
Maio 2019