1085

12 Nov 2019

| diretora: Edite Estrela

EDIÇÃO DIGITAL DIÁRIA DO ÓRGÃO OFICIAL INFORMATIVO DO PARTIDO SOCIALISTA

Lisboa
Homenagem a Nuno Teotónio Pereira
AUTOR

Partido Socialista

DATA

31.01.2017

FOTOGRAFIA

DR

Homenagem a Nuno Teotónio Pereira

O arquiteto Nuno Teotónio Pereira foi ontem homenageado, em Lisboa, no dia em que completaria 95 anos, com a inauguração de um mural evocativo e o lançamento da segunda edição (a primeira integral) da sua obra “Evolução das Formas de Habitação Plurifamiliar na Cidade de Lisboa”, numa cerimónia promovida pela Câmara Municipal de Lisboa e pela Junta de Freguesia de Alvalade, onde o artista construiu e viveu.

 

A homenagem teve início junto ao Mercado de Alvalade, no local onde o artista urbano João Samina, que é também arquiteto de formação, pintou um mural evocativo de Teotónio Pereira, com o descerramento de uma placa alusiva à ocasião pelo presidente da autarquia, Fernando Medina. Na cerimónia, que contou com a presença do presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues, foi evocado o legado de Teotónio Pereira como pioneiro na reabilitação urbana da cidade, pela intervenção política e cívica, e também no combate contra a ditadura e pela liberdade.

Depois, no edifício Caleidoscópio, no Campo Grande, teve lugar o lançamento do livro “Evolução das Formas de Habitação Plurifamiliar na Cidade de Lisboa”, trabalho de investigação realizado pelo arquiteto e por Irene Buarque entre 1978 e 1979, para a Fundação Calouste Gulbenkian, e cujo espólio doaram ao município em 2013. Uma versão reduzida deste estudo foi publicada em 1995 pela editora Livros Horizonte, agora editado na versão integral com a chancela do Município de Lisboa.

Recordando Teotónio Pereira como “uma das mais destacadas personalidades da arquitetura portuguesa, lisboeta convicto, com uma intervenção cívica e urbana exemplares”, Fernando Medina evocou as mais importantes obras do arquiteto e o seu trabalho em prol da habitação social, bem como a sua atividade política e cívica, na defesa das liberdades políticas.

“Todos devemos um agradecimento ao homem e à sua obra e prosseguir os seus valores da liberdade, da justiça e da coragem”, sublinhou o autarca de Lisboa, que esteve acompanhado pelos vereadores Catarina Vaz Pinto e Catarina Albergaria.

Na qualidade de presidente da Assembleia Municipal de Lisboa, a também arquiteta Helena Roseta destacou igualmente a importância da obra do homenageado. “Mais na condição de arquiteta, amiga, admiradora e cúmplice de Teotónio Pereira, na resistência e na arquitetura”, este foi “um livro pioneiro, um retrato de autenticidade da arquitetura lisboeta, com a habitação e a vida coletiva como causas comuns”, salientou.

Figura proeminente da arquitetura nacional, Nuno Teotónio Pereira foi um dos grandes impulsionadores da arquitetura moderna, tendo realizado obras marcantes na cidade de Lisboa. Foi premiado com alguns dos principais galardões nacionais, como o Prémio Valmor em três ocasiões (1967, 1971, 1975), Prémio Gulbenkian e INH, entre outros. Defensor da prevalência da função sobre a forma, Teotónio Pereira dedicou-se principalmente à habitação e à renovação dos edifícios religiosos, reflexo da sua postura ativa como católico progressista.

Nuno Teotónio Pereira também colaborou, com o arquiteto Miguel Jacobetty, nos projetos para o Bairro de Alvalade. Era neste bairro lisboeta que residia e foi também aí que acabou por falecer a 20 de janeiro de 2016, a poucos dias de completar 94 anos.

 

AUTOR

Partido Socialista

DATA

31.01.2017

Capa Edição Papel
 
EDIÇÃO Nº1414
Agosto 2019