1034

31 Jul 2019

| diretora: Edite Estrela

EDIÇÃO DIGITAL DIÁRIA DO ÓRGÃO OFICIAL INFORMATIVO DO PARTIDO SOCIALISTA

Dados oficiais
Criação de emprego e descida do desemprego são boas notícias para o país
AUTOR

Mary Rodrigues

DATA

09.11.2016

FOTOGRAFIA

Jorge Ferreira

Criação de emprego e descida do desemprego são boas notícias para o país

A redução da taxa de desemprego no terceiro trimestre de 2016 é uma boa notícia para todos, disse o primeiro-ministro no final da apresentação do primeiro balanço do Programa Nacional de Reformas, em Lisboa.

 

Depois de conhecer o dados do Instituto Nacional de Estatística, segundo os quais a taxa de desemprego no 3.º trimestre de 2016 ficou nos 10,5%, António Costa destacou haver uma “redução sustentada da taxa de desemprego”, sublinhando que este facto “deve dar confiança na política económica que estamos a seguir”.

E recordou que o grande objetivo do Governo “era emprego, emprego, emprego, e os números mostram que estamos no bom caminho”.

Por sua vez, o ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social disse que a redução da taxa de desemprego para 10,5% no terceiro trimestre mostra que “há uma evolução positiva sustentada no mercado de trabalho”, através do crescimento do emprego.

“Ou seja, a taxa de desemprego está a diminuir não porque as pessoas se vão embora ou porque deixam de procurar trabalho, mas porque estão a ser criados novos postos de trabalho”, vincou, considerando que é sinónimo que “a economia tem dinamismo”.

Vieira da Silva realçou ainda, nos dados divulgados hoje pelo INE, que “na composição do emprego o que cresce em maior volume é o emprego duradouro, isto é, os contratos sem termo", que, acrescentou, significa que "o melhor emprego está a crescer mais neste trimestre e neste ano”.

Refira-se que a população desempregada, estimada em 549,5 mil pessoas, registou uma diminuição trimestral de 1,8% (menos 9,8 mil pessoas) e uma diminuição homóloga de 11,2% (menos 69,3 mil).

A população empregada, estimada em 4 661,5 mil pessoas, registou um acréscimo trimestral de 1,3% (mais 59,0 mil) e um acréscimo homólogo de 1,9% (mais 86,2 mil).

AUTOR

Mary Rodrigues

DATA

09.11.2016

Capa Edição Papel
 
EDIÇÃO Nº1414
Agosto 2019