967

17 Abr 2019

| diretora: Edite Estrela

EDIÇÃO DIGITAL DIÁRIA DO ÓRGÃO OFICIAL INFORMATIVO DO PARTIDO SOCIALISTA

Educação e Ciência
Portugal e Macau reforçam cooperação
AUTOR

Partido Socialista

DATA

13.09.2016

FOTOGRAFIA

DR

Portugal e Macau reforçam cooperação

O primeiro-ministro, António Costa, recebeu ontem em São Bento o chefe do Executivo da Região Administrativa Especial de Macau, Chui Sai On, num encontro que teve como temas centrais o reforço da cooperação económica, tecnológica e científica, bem como no domínio da educação e difusão da língua portuguesa.

 

Na reunião, o chefe do Governo português destacou a aposta crescente do país no investimento em educação, ciência, inovação e tecnologia, tendo assinalado o facto de Lisboa se preparar para receber em novembro a “Web Summit”, evento que nos próximos anos juntará na capital portuguesa as mais importantes “startups” e empresas tecnológicas mundiais.

António Costa destacou também a importância da cooperação com Macau ao nível da difusão da língua portuguesa na Ásia, acentuando o papel desta região administrativa no âmbito da plataforma entre a China e os países de expressão portuguesa.

Ainda no âmbito da sua deslocação a Lisboa, o chefe do Executivo de Macau manteve um encontro de trabalho no Ministério dos Negócios Estrangeiros – a quarta reunião da comissão mista entre Portugal e Macau -, onde a cooperação na educação e a difusão da língua portuguesa foram também matérias em destaque.

 

Aprofundar a difusão da língua portuguesa

“Macau é uma excelente plataforma para a difusão da língua portuguesa em toda a China”, considerou Augusto Santos Silva, no final do encontro.

O chefe da diplomacia portuguesa saudou a decisão recente de generalizar o ensino do português a todas as escolas da região administrativa, destacando ser este um projeto com “prioridade de apoio” do Executivo de Macau, afirmando, por seu lado, a disponibilidade de Portugal para apoiar a formação de professores.

Posição partilhada pelo líder do Governo de Macau, que afirmou estarem a ser criadas “muitas condições e oportunidades” para que residentes e gerações futuras possam ter acesso ao ensino da língua portuguesa no território.

A nível do ensino superior, Santos Silva destacou as experiências de intercâmbio de estudantes, que têm decorrido “com todo o êxito”, e elogiou a iniciativa de Macau de formar especialistas em língua portuguesa, “garantindo a presença de quadros que sejam também capacitados em língua portuguesa em áreas tão críticas como o direito, as finanças e a gestão, a saúde ou a engenharia civil”.

“Esta é também uma área de forte cooperação entre o sistema de ensino superior português e o sistema de ensino superior de Macau”, salientou.

Na reunião, foram também abordadas a cooperação científica, estando previsto, para este efeito, um encontro entre o Fundo para o Desenvolvimento das Ciências e Tecnologias de Macau e a Fundação de Ciência e Tecnologia de Portugal, assim como o aprofundamento da cooperação no domínio do empreendedorismo jovem na área das empresas tecnológicas.

Capa Edição Papel
 
EDIÇÃO Nº1412
Fevereiro 2019