1092

21 Nov 2019

| diretora: Edite Estrela

EDIÇÃO DIGITAL DIÁRIA DO ÓRGÃO OFICIAL INFORMATIVO DO PARTIDO SOCIALISTA

Coesão territorial
Governo baixa preço das portagens nas autoestradas do interior
AUTOR

Rui Solano de Almeida

DATA

20.07.2016

FOTOGRAFIA

DR

Governo baixa preço das portagens nas autoestradas do interior

Os veículos que circulem a partir do próximo dia 1 de agosto em algumas autoestradas do interior e na A22 no Algarve, conhecida como via do Infante, vão poder beneficiar de um desconto de 15%.

 

O anúncio foi ontem feito na Covilhã pelo ministro do Planeamento e Infraestruturas, Pedro Marques, que justifica esta medida do Governo, com efeitos a partir já do primeiro dia do mês de agosto, por critérios de convergência económica e coesão territorial.

As autoestradas abrangidas por estes descontos, segundo o governante, serão a A23, entre Torres Novas e a Guarda, a A22, que liga a cidade de Lagos a Vila Real de Santo António, a A24, entre Viseu e a fronteira de Vila Verde de Raia, no município de Chaves, a A4, denominada transmontana, entre Amarante e Quintanilha, no concelho de Bragança, e a A25, entre Albergaria-a-Velha e Vilar Formoso, excluindo o troço inicial, como acentuou o governante, entre Aveiro e Albergaria.

Segundo o ministro Pedro Marques, de fora desta decisão fica o túnel do Marão, recentemente inaugurado e integrado na A4, que já beneficia de 15% de desconto.

Também para os veículos pesados de mercadorias há novidades nesta decisão do Governo, em relação aos descontos no pagamento nas portagens, com os descontos adicionais de 10% no período diurno e de 25% em período noturno, que existem desde 2012, a serem alterados, respetivamente, para 15 e 30%, medida que será alargada à autoestrada A4 e ao túnel do Marão.

Segundo Pedro Marques, o novo regime de descontos que serão praticados nas portagens das autoestradas, tem em conta, não só o poder de compra concelhio, com base no indicador de rendimentos per capita, igual ou inferior a 90% da média nacional, como recorre igualmente ao critério da acessibilidade territorial agregada, que, como recorda o titular da pasta do Planeamento e Infraestruturas, “relaciona a condição geográfica de cada município e as suas acessibilidades rodoviárias”.

O Governo, ainda segundo o ministro, espera que esta iniciativa possa proporcionar um novo impulso económico nas regiões servidas pelas autoestradas agora abrangidas por estes descontos, esperando que o efeito global desta e de outras medidas que o Governo tem vindo a tomar com o objetivo de trazer às regiões mais pobres do interior do país, mais progresso e desenvolvimento económico, seja positivo para as economias regionais, com “mais emprego e mais empresas a fixarem-se”, para além de “mais população jovem a poder escolher o interior como espaço de residência e de vida”.

AUTOR

Rui Solano de Almeida

DATA

20.07.2016

Capa Edição Papel
 
EDIÇÃO Nº1414
Agosto 2019