1044

13 Set 2019

| diretora: Edite Estrela

EDIÇÃO DIGITAL DIÁRIA DO ÓRGÃO OFICIAL INFORMATIVO DO PARTIDO SOCIALISTA

Congresso TSS/UGT
A escolha do PS é a dignidade do trabalho
AUTOR

Partido Socialista

DATA

11.07.2016

FOTOGRAFIA

DR

A escolha do PS é a dignidade do trabalho

A Secretária-geral adjunta socialista, Ana Catarina Mendes, sustentou este sábado, durante o Congresso da TSS/UGT, que “a escolha do PS e do Governo que apoia é a dignidade do trabalho, das famílias e a valorização da organização coletiva dos trabalhadores como forma eficiente de lutar por menos desigualdade social e melhor garantia dos direitos dos trabalhadores.”

 

Para a dirigente socialista, que interveio na sessão de abertura dos trabalhos, “o PS acredita que, quanto mais fortes forem os sindicatos, melhor será a sociedade em que vivemos”, estabelecendo um contraponto com a direita, que na sua atual versão neoliberal é tão inimiga da concertação social, da contratação coletiva e da organização coletiva dos trabalhadores.

Ana Catarina Mendes destacou ainda que, na moção recentemente aprovada no XXI Congresso Nacional do partido, o PS reafirmou a centralidade dos sindicatos entre as forças propulsoras do socialismo democrático e a importância do diálogo com os parceiros sindicais, que não deixando de assumir a sua total autonomia face aos partidos representam uma força privilegiada de afirmação do combate político e da participação cívica.

Na sua intervenção, Ana Catarina Mendes lembrou que a imagem que se colou aos sindicatos, que não se deve ao PS nem aos sindicalistas socialistas, de um sindicalismo por vezes irrealista, demasiado colado a agendas partidárias, por vezes maximalista ou excessivamente centrado no confronto, contribuiu para enfraquecer o movimento sindical.

A dirigente socialista deixou ainda um desafio, convidando “a direção da Tendência Sindical Socialista para que reunamos e reflitamos em conjunto sobre as conclusões dos nossos congressos e estabeleçamos a partir dessa reunião uma parceria renovada de trabalho”.

Durante a sua presença no congresso da TSS/UGT, Ana Catarina Mendes vincou uma palavra de apreço pelo trabalho da central sindical, destacando que “o projeto sindical da UGT abraça valores e princípios que são partilhados pelo PS, ao contrário de outros projetos sindicais mais centrados na sobrevivência dos movimentos comodistas e de movimentos unitários com modelos orgânicos de outras épocas históricas“.

“O PS sabe onde está a maioria dos socialistas que se empenham no sindicalismo. Sabemos bem que é na UGT e nos sindicatos da UGT que está filiada a maior parte dos socialistas que são ativistas sindicais“, observou, acrescentando que “respeitando igualmente as duas centrais sindicais, sabemos que é na UGT que a visão do mundo e do futuro de Portugal encontra maiores repercussões, comunhões e pontos de vista com o PS“.

 

Medo voltou a pairar sobre o projeto europeu

À margem do congresso, a Secretária-geral adjunta do PS comentou ainda a nomeação de Durão Barroso para a administração do banco Goldman Sachs, recordando que “Durão Barroso foi presidente da Comissão Europeia nos piores anos do projeto europeu” e, como prémio, foi trabalhar para a instituição que foi a “principal causadora da destruição dos direitos sociais na União Europeia“.

Ana Catarina Mendes alertou que o projeto europeu de paz e de solidariedade “está hoje ameaçado pelas políticas neoliberais dos últimos dez anos” que foram conduzidas pela Comissão Europeia, enfatizando que “Durão Barroso foi presidente da Comissão Europeia nos piores anos do projeto europeu“.

“E que prémio podia ter Durão Barroso? Só ficar naquela que foi a principal causadora da destruição dos direitos sociais na União Europeia e é contra isto que nós temos que continuar a estar“, disse ainda Ana Catarina Mendes, alertando que “o medo voltou a pairar” na Europa e que “o mal não está nas instituições, mas nos protagonistas do PPE“ que são “neoliberais, conservadores e xenófobos“.

 

AUTOR

Partido Socialista

DATA

11.07.2016

Capa Edição Papel
 
EDIÇÃO Nº1414
Agosto 2019