770

25 Maio 2018

| diretora: Edite Estrela

EDIÇÃO DIGITAL DIÁRIA DO ÓRGÃO OFICIAL INFORMATIVO DO PARTIDO SOCIALISTA

100 dias de Fernando Medina
Lisboa em marcha
AUTOR

PS

DATA

17.07.2015

FOTOGRAFIA

CML

Lisboa em marcha

Ao longo dos seus mandatos na Câmara Municipal de Lisboa (CML), António Costa teve sempre como preocupação o equilíbrio das contas da cidade. Mas entendeu sempre o rigor orçamental como um libertador de recursos para investir e melhorar a vida das pessoas e não como um fim em si mesmo. Recebeu como herança uma Câmara endividada e uma cidade paralisada por processos judiciais. António Costa resolveu esses processos, mas deu também a Lisboa uma visão estratégica e solidária que soube implementar com sucesso.

 

Fernando Medina recebeu, nas suas próprias palavras, “uma casa arrumada e uma estratégia em plena execução”. Com uma “ambição renovada”, Medina provou nestes primeiros 100 dias que já leva como presidente que Lisboa ficou, de facto, em boas mãos. Lisboa está em marcha e são já muitas as marcas dos primeiros tempos de mandato. Destes 100 dias o AS DIGITAL DIÁRIO destaca 10 marcas essenciais:

Contas Certas: As contas de 2014 estão fechadas: o passivo foi reduzido em 225 M€ e a dívida global em 25M€. A Câmara está a pagar a pronto aos fornecedores, conseguindo assim melhores condições de financiamento e mais apoio à economia. De resto, face a 2007 (ano em que a direita deixou a Câmara), as contas apresentam uma redução da dívida de 45%.

Plano Pavimentar 2015-2020: A Câmara anunciou um investimento de 25 milhões de euros só nos próximos dois anos na reabilitação dos passeios e artérias de Lisboa. O plano de pavimentação arrancou na Rua Sampaio Bruno, onde as obras vão estar concluídas em dois meses. A CML vai reabilitar o pavimento, marcar lugares de estacionamento, retirar obstáculos e alargar passeios. Seguem-se intervenções em mais 149 ruas. No final desta operação, os lisboetas vão ganhar mais segurança, mais conforto e mais mobilidade.

Plano Geral de Drenagem de Lisboa: É dos projetos mais estruturantes para o futuro da cidade. O plano oferece uma resposta estrutural a um problema estrutural: a ocorrência de fenómenos de cheias em Lisboa. Evidentemente nenhum Plano pode eliminar por completo a ocorrência de fenómenos de cheias numa cidade com as caraterísticas geográficas de Lisboa. É possível, isso sim, reduzir a quantidade de ocorrências e reduzir os impactos dessas ocorrências para as famílias e para as empresas. É disso que se trata, e para isso são afetados nos primeiros 5 anos de implementação do Plano 100 milhões de euros, a que se somarão mais 70 milhões até 2030.

Uma Praça em cada Bairro. O Programa visa dar mais espaço público aos lisboetas e envolve atualmente a gestão de 33 projetos de requalificação. Antecedendo a realização das obras foram já elaborados diversos trabalhos: 22 programas preliminares; 22 sessões de esclarecimento e apresentação do programa; levantamento de 45 hectares de Cadastros de Redes no subsolo; identificação de 1000 árvores em 22 das 33 intervenções; 31 extratos com os limites de cada intervenção; levantamentos topográficos; 22 plantas de proveniências; e 20 relatórios geotécnicos e hidrológicos.

Habitação para todos: Foram entregues as chaves de 26 habitações municipais no âmbito dos vários programas em curso: 18 no âmbito da Renda Apoiada; duas no âmbito da Renda Convencionada; duas no âmbito do protocolo de Apoio às Vitimas de Violência Doméstica; e quatro no âmbito da gestão do parque habitacional municipal. De resto, está em fase de preparação o programa de habitação a renda acessível que vai trazer para Lisboa, numa primeira fase, 5 mil novas famílias.

Escola Nova: No primeiro evento em que esteve como Presidente, Fernando Medina fez questão de assinalar a conclusão das obras de requalificação da Escola Básica Alexandre Herculano. Está em curso, ao longo deste ano, a execução do Programa Escola Nova. Lisboa vai continuar a dar melhores condições às suas crianças, renovando as escolas, fornecendo refeições e apoiando a prática desportiva, num investimento que ronda os 30 milhões/ano e que é acima de tudo um investimento no futuro.

Reabertura da Hemeroteca Municipal: Integrada na rede de bibliotecas LX e no conceito do Programa Biblioteca XXI, ao abrigo do qual foi inaugurada a nova Biblioteca da Penha de França, a Hemeroteca oferece agora melhores condições de trabalho, espaço para debate e exposições, permite entrega e requisição de livros da rede de bibliotecas e acesso imediato à base digitalizada e à parte mais procurada do acervo.

Inauguração do Novo Complexo Desportivo do Areeiro: É um equipamento desportivo totalmente construído de raiz e edificado no local emblemático da antiga piscina do Areeiro, que oferece à população de Lisboa: duas piscinas interiores, climatizadas, para natação livre, uso recreativo, cursos de natação e aulas de hidroginástica; uma zona com sauna e banho turco; e uma ampla área de fitness, com equipamentos de treino de última geração e adequados a todas as idades.

Olisipíadas - As Olisipíadas são um evento desportivo local que envolve 12 modalidades e que registou um total de 5250 inscrições, incluindo atletas, delegados, dirigentes, monitores e treinadores. As Olisipíadas revelaram-se um exemplo de mobilização cidadã, com 24 freguesias envolvidas, muitos clubes, federações e associações desportivas da cidade. As Olisipíadas voltaram, e vieram para ficar. Para o ano regressam.

Jardim da Cerca da Graça. Na encosta do Convento da Graça, que dantes estava ao abandono, nasceu um novo Jardim, o segundo maior da zona histórica da cidade. Liga a Mouraria à Graça. Com um relvado, três miradouros, um parque infantil, um parque de merendas para as famílias e um quiosque para refrescar nestes dias mais quentes.

 

AUTOR

PS

DATA

17.07.2015

Capa Edição Papel
 
EDIÇÃO Nº1410
Fevereiro 2018