1108

13 Dez 2019

| diretora: Edite Estrela

EDIÇÃO DIGITAL DIÁRIA DO ÓRGÃO OFICIAL INFORMATIVO DO PARTIDO SOCIALISTA

Comissão CGD
PS entrega requerimento a solicitar atas de reuniões entre Banco de Portugal e BCP
AUTOR

Partido Socialista

DATA

14.06.2019

FOTOGRAFIA

jorge ferreira

PS entrega requerimento a solicitar atas de reuniões entre Banco de Portugal e BCP

O Grupo Parlamentar do PS entregou ontem um requerimento a solicitar ao Banco de Portugal (BdP) as atas de duas reuniões alegadamente realizadas entre o antigo governador do BdP, Vítor Constâncio, o vice-governador, Pedro Duarte Neves, e representantes do BCP, em dezembro de 2007, ao presidente da II Comissão Parlamentar de Inquérito à Recapitalização da Caixa Geral de Depósitos e à Gestão do Banco.

 

Os deputados socialistas solicitam, no requerimento, que “na confirmação da realização destas reuniões, o Banco de Portugal remeta as respetivas atas” pela relevância dessa informação para os trabalhos da Comissão de Inquérito.

O requerimento dos parlamentares socialistas surge na sequência das declarações prestadas por Filipe Pinhal na audição na Comissão de Inquérito, na qual afirmou terem sido convocadas duas reuniões pelo Banco de Portugal: uma reunião em 20/12/2007 em que estiveram presentes o Governador do BdP, Vítor Constâncio, o vice-governador, Pedro Duarte Neves, e Christopher Beck e Filipe Pinhal, representantes do BCP; e uma segunda reunião em 21/12/2007 em que estiveram presentes o governador do BdP, Vítor Constâncio, e vários acionistas do BCP.

 

Nova audição a Vítor Constâncio é “indispensável”

O presidente da bancada parlamentar do PS, Carlos César, tinha já considerado como “indispensável” que a Comissão de Inquérito voltasse a ouvir Vítor Constâncio e Pedro Duarte Neves, devido à “omissão inexplicável dos seus depoimentos”.

Recorde-se que o jornal ‘Público’ noticiou que Vítor Constâncio omitira do Parlamento que, em 2007, quando era governador do Banco de Portugal, autorizou o investidor Joe Berardo a levantar 350 milhões de euros da CGD para comprar ações do BCP, colocando, assim, em causa o seu depoimento de 28 de março na Comissão de Inquérito, em que referiu que o Banco de Portugal não podia saber que o banco público iria conceder o financiamento antes de o crédito ser dado.

“O Grupo Parlamentar do PS entende ser indispensável voltar a questionar Vítor Constâncio, tal como por exemplo o então vice-governador Pedro Duarte Neves, face à omissão inexplicável dos seus depoimentos a esse respeito na Comissão de Inquérito”, apontou, então, Carlos César.

Num requerimento dirigido ao presidente da Comissão de Inquérito, assinado pelo vice-presidente da bancada, João Paulo Correia, o PS apontou que, “tendo em consideração o conteúdo das notícias veiculadas pela comunicação social que referem a existência de troca de informação entre o Banco de Portugal e a Caixa Geral de Depósitos”, é necessária a realização de uma segunda audição.

Para essa audição, o PS invoca também uma reunião do Conselho de Administração do Banco de Portugal “em que terão sido analisados os créditos concedidos a José Berardo, assim como a circunstância de estes factos não estarem refletidos no atual acervo documental da Comissão de Inquérito”.

O Partido Socialista também quer ter acesso a vários documentos, como as “informações prestadas pela Caixa Geral de Depósitos ao Banco de Portugal, em que sejam mencionadas operações de crédito, ou alterações de posição societária, relativamente a outras instituições bancárias, no período de 2000 a 2015”.

O requerimento refere também as atas das reuniões do Conselho de Administração do Banco de Portugal “em que tais informações tenham, de alguma forma, sido mencionadas”.

 

 

AUTOR

Partido Socialista

DATA

14.06.2019

Capa Edição Papel
 
EDIÇÃO Nº1414
Agosto 2019